Alerta vermelho no parquinho: catapora está pegando geral

Por FABIANA FUTEMA

 

Alerta vermelho no playground: a catapora está pegando geral. Pediatra já recomendou antecipar a segunda dose da vacina da varicela no bebê _o reforço não estará disponível na rede pública (ai meu bolso!).

O Hospital Infantil Sabará registrou o atendimento de 42 casos de varicela _também conhecida como catapora_ em agosto, um aumento de 147% em relação a julho (17). Na comparação com agosto de 2012, o crescimento foi de 35% (31)

“A prevenção deve ser feita por meio de vacinação e evitar o contato com as pessoas infectadas [com a varicela]”, diz a pediatra Fátima Rodrigues Fernandes,  especialista em imunologia e infectologia do Hospital Infantil Sabará.

E como identificar a doença? Primeiro a criança tem febre, mal estar, perda de apetite, dor de cabeça. De 24 a 48 horas depois aparecem manchas avermelhadas que depois se transformam em bolhas ou vesículas cheias de água. Os cuidados devem redobrar nessa fase, pois essas bolhas causam muita coceira.

“É preciso baixar a febre e hidratar a pele para reduzir a coceira”, afirma Fátima.

Segundo ela, o ato de coçar estimula o aparecimento de infecções secundárias. “A pele fica com lesões, o que facilita a entrada de bactérias.”

A pediatra lembra que a criança com catapora não deve ir para a escola. O ideal é ficar em casa se recuperando.

 Vacina

Conforme post anterior, a vacina contra a catapora/varicela estará disponível nos postos de saúde de SP até o fim do mês para crianças de 15 meses.

Os pediatras recomendam uma segunda dose de reforço até os 24 meses. Nas clínicas particulares, a vacina custa cerca de R$ 150.

 

A criança com catapora deve evitar contato com outras pessoas (Credito: Vadym Zaitsev/Shutterstock
A criança com catapora deve evitar contato com outras pessoas (Credito: Vadym Zaitsev/Shutterstock