A criança é quem decide quando sair das fraldas

Por Giovanna Balogh

A criança nem completa dois anos e já vem aquela cobrança  ou por parte da escola, ou de algum parente: “Quando essa criança vai sair da fralda?”. A resposta dos pais, segundo pediatras, deveria ser uma só: quando ela quiser.

Pode parecer um pouco absurda essa informação, mas o processo precisa ser o mais natural possível para não causar traumas e problemas sérios, como uma constipação intestinal ou a criança urinar por anos na cama. O pediatra Carlos Eduardo Correa, 50, mais conhecido como Cacá, diz que o desfralde acaba ocorrendo com naturalidade por volta dos três anos.

Ele explica que alguns sinais são dados pela própria criança, como ficar incomodado com o uso da fralda e também se esconder atrás de uma cadeira ou da mesa da sala de jantar para fazer o cocô. “As crianças se escondem porque sentem vergonha e é um dos primeiros sinais de que o desfralde pode ocorrer sem ser tenso”.

Em seu consultório, Cacá diz que algumas escolas chegam a culpar os pais pelo ‘fracasso’ do desfralde quando na verdade ainda não é hora de tirar a fralda. Segundo ele, um casal chegou a  relatar que a escola acionou uma psicóloga para questioná-lo se tinha algum problema com cocô. “O desfralde acontece de forma rápida desde que a criança esteja pronta. Não é a escola ou os pais que vão determinar.”

Claro que mesmo quando a criança está preparada para o desfralde acontecem as ‘escapadas’, ou seja, poças de xixi no meio do chão da sua sala ou uma cueca ou calcinha melecada do número 2 em pleno restaurante no almoço de domingo. Faz parte.

 

Desfralde da criança acontece com naturalidade por volta dos três anos (Foto: Vadim Ponomarenko/Shutterstock)

A pediatra Ana Luisa Pacheco,  30, explica que nas ‘escapadas’ são normais e que os pais devem agir de forma natural, sem repreender a criança. “Nem sempre ela tem o controle. Normalmente, primeiro ela começa a controlar o xixi e depois o cocô. “

Quando a criança acerta ou pede para ir no peniquinho, Ana Luisa diz que funciona elogiar. “Falar coisas como você está ficando mocinho ou dar parabéns podem incentivar a criança.”

DESFRALDE  NOTURNO

A pediatra diz ainda que algumas crianças podem sofrer por um longo tempo de enurese noturna  (falta de controle da micção enquanto dorme) caso algum dos pais tenha tido o problema por um tempo prolongado durante a sua infância.  Segundo ela, dar pouco líquido à noite ajuda. “Outra opção é o pai sempre levar a criança para fazer xixi antes de dormir. Criar uma rotina antes de ir para a cama, assim como escovar os dentes.”

Aproveitar os dias mais quentes do ano também faz o desfralde  ser um pouco  menos  ‘sofrível’, afinal, se a criança der aquelas escapadinhas é mais fácil limpá-la e ela não enfrenta a friagem.

Assim como outras mães, a farmacêutica Ana Flávia Martins Puopolo de Almeida, 36, conta que se sentiu pressionada pela pessoas de seu convívio a desfraldar o filho Gael, que hoje está com 2 anos e 10 meses. Ela começou  no início do inverno, mas desistiu. “Como ele não estava respondendo, desisti. Agora, sinto que ele está mais preparado porque se expressa melhor. Agora vou começar tudo de novo”, afirma.

Ana Flávia preferiu procurar o pediatra e ele a tranquilizou. “Ele falou que iria acontecer no tempo certo e por isso optei em fazer agora que ele está maiorzinho”, afirma.

Em casa também foi assim…Muitos xixis na sala até que o meu filho mais velho passou a avisar quando queria ir ao banheiro. O desfralde noturno ainda não rolou, mas sem pressa e encanações. Paciência e muito amor para que o desfralde seja tranquilo para você e para os pequenuchos. E você, qual foi sua dificuldade?