Quando meu filho aprendeu a falar praia

Por FABIANA FUTEMA

O caderno ‘Turismo’ da Folha de hoje traz dicas para pais de primeira viagem, além de roteiros para o Dia das Crianças. Ainda não sou expert em viagens com filhos. E como toda novata cometi vários erros. Mas os acertos acabaram compensando as trapalhadas.

Peço licença aos leitores para contar um pouco da minha experiência. A primeira viagem de Kazuo foi aos 4 meses para a casa dos avós, em Macaé (RJ). Fomos de carro e ele dormiu durante praticamente todo o percurso de quase oito horas. Sem saber ao certo o que precisaria para uma estadia de um mês, levei praticamente a casa no bagageiro. Resultado: carro entulhado de coisas que acabei não usando.

Com 1 ano e 3 meses ele voltou a viajar para Macaé, mas dessa vez fomos de ônibus, só ele e eu. Comprei dois bilhetes num ônibus leito e planejei encaixar a cadeirinha na poltrona. Antes de embarcar fui avisada que haveria uma troca de ônibus no meio do percurso e desisti da cadeirinha. Achei que não conseguiria carregar sozinha Kazuo, bolsa e cadeirinha.

Primeiro erro: ele não quis ficar sozinho na poltrona, acabou viajando no meu colo. Maior dificuldade: ir ao banheiro, pois não tinha com quem deixá-lo. Tive que levá-lo para a cabine e a acrobacia não foi das mais fáceis.

Tirei férias em agosto e o planejamento da viagem considerou as necessidades da criança _e o bolso dos pais. Fomos para Maceió para fugir do frio de São Paulo. Escolhemos um hotel próximo da praia, que oferecesse recreação, copa baby e cozinha com cardápio infantil. Pude, por exemplo, pedir que fizessem papinhas para ele.

Levei uma piscina inflável para usar como banheira. A copa baby tinha leite em pós, mas preferi usar o que levei de SP.

Dificuldade? Só no jantar e almoço. Ele queria comer sozinho e estava com a mania de jogar a comida no chão.

Ele se comportou super bem no avião. Único porém é que estava na fase de puxar o cabelo dos outros e fez isso com os vizinhos de poltrona.

De resto, só alegria. Ele voltou da viagem com uma palavra nova no vocabulário: praia. E vive pedindo para voltar para a praia.

Kazuo conhecendo a praia do Pecado, em Macaé (Crédito: Cecília Futema)
Kazuo conhecendo a praia do Pecado, em Macaé (Crédito: Cecília Futema)