Falta de carrinhos para crianças dificulta ida ao supermercado

Por FABIANA FUTEMA

Ir ao supermercado com uma criança não é tarefa das mais fáceis. Se você está sozinho, piorou. É preciso fazer compras e olhar o bebê ao mesmo tempo.

Facilitaria muito a vida das mães poder contar com carrinhos adequados para levar os pequenos às compras.

A rede de supermercados Dia, por exemplo, não tem carrinhos próprios para crianças de nenhuma idade. A rede informa que possui formato de lojas menores e que a largura de seus corredores não suporta carrinhos para crianças.

Nas lojas que possuem carrinhos para crianças, a quantidade chega a ser insuficiente em dias de promoção de fralda, por exemplo. Também me deparei com muito carrinho precisando de manutenção.

Quem não tem como fazer compra sem levar o filho precisa se adaptar à realidade de cada loja.

Se o supermercado não tiver carrinho adequado, o jeito é colocar a criança junto das mercadorias. Esse ‘jeitinho’ deixa o momento mais emocionante, pois enquanto você coloca as compras no carrinho, seu filho vai tirando.

Já os menorzinhos não podem ser jogados de qualquer jeito dentro do carrinho. A opção é colocá-lo s no bebê-conforto dentro do carrinho.

Test-drive pessoal

Lá em casa quem faz compras sou eu. E Kazuo, do alto de seu 1,8 ano, é meu fiel escudeiro nesse momento tão gratificante da vida da dona de casa (sqn).

Para fazer compras no Dia, tenho de colocá-lo dentro do carrinho com as compras. E, como descrevi acima, sua maior diversão é tirar do carrinho tudo que coloco nele.

Tive dificuldade para encontrar carrinhos adaptados para crianças no Extra da avenida Ricardo Jafet, na zona sul de SP. São poucos em relação aos carrinhos normais e ficam todos misturados, o que dificulta a localização. O Extra informa que não sabe quantos carrinhos para criança possui em cada loja, que varia conforme a demanda.

Nas lojas do Carrefour que visitei, a maioria dos carrinhos era adaptado para crianças maiorzinhas. Mas faltavam aqueles para bebês.

Em nota, o Carrefour informou que pretende ampliar para outras lojas o conceito Nova Geração, implantado nas lojas de Santo André, São Caetano e Imigrantes, com carrinhos especiais, fraldário, e espaço kids.

Consumidor

A advogada Maria Inês Dolci, coordenadora institucional da Pro Teste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor) e colunista da Folha, diz que não existe nenhuma lei que obrigue  os supermercados a manterem uma quantia mínima de carrinhos para crianças à disposição dos clientes.

“Aqueles que se preocuparem mais com seu público, vão se aparelhar melhor. E o consumidor, principalmente o que tem filho pequeno, vai procurar lojas que se preocupam com seu conforto”, disse ela.

Criança tem que dividir espaço com compras (Crédito: Schutterstock)
Criança tem que dividir espaço com compras (Crédito: Schutterstock)