Teste do pezinho passa a detectar mais duas doenças em SP

Por FABIANA FUTEMA

O teste gratuito do pezinho, realizado nas maternidades logo após o nascimento dos bebês, passará a detectar mais duas doenças nas maternidades de São Paulo. Hoje, o teste identifica quatro doenças: hipotireoidismo congênito, anemia falciforme, fibrose cística e fenilcetonúria _doença caracterizada pela falta de uma enzima.

A partir desta semana, o teste permitirá o diagnóstico da deficiência de biotinidase e a hiperplasia adrenal congênita. A deficiência de biotinidase pode provocar convulsões, falta de equilíbrio, lesões na pele, perda de audição e retardo no desenvolvimento. Já a hiperplasia adrenal congênita faz com que as duas glândulas suprarrenais não funcionem corretamente.

Segundo Carmela Maggiuzzo Grindler, coordenadora estadual do Programa Nacional de Triagem Neonatal de São Paulo, as doenças detectadas são crônicas, genéticas e incuráveis. “Quando identificadas e tratadas precocemente, aumentamos a chance de sobrevida normal, de integração social e de preservação da capacidade cognitiva e da qualidade da vida dos pacientes”, afirmou Grindler.

O teste é feito por meio do sangue colhido por punção do calcanhar do bebê  48 horas após o nascimento. A Secretaria de Saúde de São Paulo, informa que hoje, em 70% dos casos, a coleta para o exame é feita dentro da própria maternidade _pública ou privada. No restante dos casos, o exame é feito por unidades básicas de saúde municipais.

Os exames coletados são encaminhados para o Serviço de Referência de Triagem Neonatal (Laboratório do Teste do Pezinho) juntamente com os contatos da mãe. Quando um resultado é positivo para uma das doenças, a família é contatada e a criança é submetida a um novo teste. Se o diagnóstico for confirmado, a família é encaminhada para um serviço especializado.

Teste ampliado

O teste que detecta essas seis doenças é gratuito. Mas a maioria das grandes maternidades oferece aos pais a opção de realizar testes ampliados que detectam um número maior de doenças.

Quanto mais doenças o teste diagnosticar, mais caro é. Eu, mãe de primeira viagem, fiz o teste mais ampliado que tinha na época.

Quando fui à primeira consulta da pediatra, ela aprovou minha decisão _embora meu bolso tenha resmungado. Disse que quanto antes se idenifica a doença, melhor é o tratamento e a chance de recuperação.

Mas opinião é como futebol e religião, cada um tem a sua. Alguns pais precavidos passam pelo pediatra antes mesmo do nascimento do bebê. Se você for desse tipo e estiver grávida, pergunte ao médico o que ele acha sobre pagar para fazer um teste ampliado do pezinho.

Criança faz teste do pezinho (Crédito: Gustavo Roth -11.jan.2002/Folhapress)
Criança faz teste do pezinho (Crédito: Gustavo Roth -11.jan.2002/Folhapress)