Saiba como são feitas as fotos de bebê com poucos dias de vida

Por Giovanna Balogh

Após uma semana de vida o bebê normalmente é levado para os pais para a clássica visita ao pediatra. Agora, além da ida ao consultório, muitos bebês têm outro passeio: um estúdio fotográfico. A chamada fotografia ‘newborn’ (recém-nascido) tem ganhado cada dia mais força no Brasil. Os bebês são fotografados com apenas cinco ou até 15 dias de vida. O resultado são fotos incríveis do bebê dormindo em cestas, enrolado em mantas ou simplesmente de bruços com um lindo gorrinho.

Mas para ter as lindas fotos os pais devem ficar atentos pois elas não podem ser feitas por qualquer pessoa. É preciso buscar um profissional que tenha muito cuidado para manusear o recém-nascido.

A recomendação de fazer as fotos com até 15 dias de vida é que o bebê dorme mais nessa época e normalmente ainda não começou a ‘fase das cólicas’, que aumenta consideravelmente o desconforto e o choro dos recém-nascidos. “Nada impede de fotografar o bebê com 2 ou 3 meses de vida, mas o estilo é diferente já que várias poses só são possíveis nos primeiros dias de vida. É um momento único”, diz a fotógrafa Laura Alzueta, que nos últimos três anos já fotografou cerca de 300 recém-nascidos.

A engenheira de alimentos Mila Fiorese, 39, conta que ficou com medo de tirar a filha de casa com apenas 11 dias de vida. “Achei que poderia estar abusando, mas no final foi super tranquilo. A fotógrafa trocava a Marina de posição e ela nem acordava. Tudo era feito com muito carinho e, se ela não acordava, é porque não estava incomodada”, diz Mila, que registrou o passo a passo da gestação e fará sessões da filha até ela completar um ano.

Alguns pais optam em fazer as fotos em casa já que existem profissionais que também atendem na residência da família. Foi o caso da farmacêutica Vivian Machado lopes Lourenço, 30, que registrou a filha com apenas 16 dias de vida. “Foi muito tranquilo e ela dormiu o tempo todo. A fotógrafa foi muito doce”, diz Vivian, mãe de Lorena que hoje já tem um ano.

As sessões de fotos acontecem sempre na soneca após a mamada e a troca de fraldas. Uma sessão de fotos pode durar até quatro horas pois é preciso ser feita no tempo da criança. As fotógrafas contam que muitas vezes a sessão é interrompida pois o recém-nascido acorda, precisa mamar, trocar fralda. O mais importante, segundo as profissionais, é ter um ambiente acolhedor para a criança, ou seja, higienizado e sem barulho. “No meu estúdio não deixo ninguém entrar de sapato. Tudo é esterilizado e higienizado, cheio de álcool gel por todos os lados. Os mesmos cuidados que temos em casa com nossos filhos eu tomo no meu trabalho”, comenta Laura.

Além da foto precisar ser feita sempre em um ambiente higienizado, outro cuidado que deve ser adotado é em relação à temperatura do ambiente. A fotógrafa Wanezza Soares, da Feito Criança, é uma das profissionais  que vai até a casa do bebê para fazer os ensaios. Além de todo o equipamento fotográfico e acessórios para utilizar no bebê, ela leva sempre o seu aquecedor. “O ambiente é aquecido em 28ºC. A temperatura às vezes nos incomoda, mas é agradável para o bebê. Com frio, ele não dorme”, comenta. Ela conta que uma vez a sala da cliente era muito grande e que só o aquecedor não deu conta e que foi impossível fazer as fotos. A sessão precisou ser remarcada.

X

Wanezza explica que em algumas fotos são feitas montagens pois não é possível, por exemplo, colocar um bebê apoiando sozinho a cabeça nas mãos já que ele não consegue sustentar a cabeça. “O bebê não tem força, nem musculatura para se sustentar sozinho, precisa de uma mão segurando por baixo e depois uma mão segurando a cabecinha por cima, aí é só agrupar no photoshop as partes onde não aparecem as mãos. Ás vezes, é preciso um dedo apoiando a cabecinha para ela não tombar”, explica.

Laura diz que busca sempre poses que remetem ao útero materno colocando o bebê em posição fetal. A fotógrafa conta que tenta tirar proveito da própria natureza do bebê ao clicá-lo. “Alguns bebês já colocam a mãozinha no rosto ainda dentro da barriga, dá para ver no ultrassom e, ao nascer, continuam fazendo isso. Sempre tiro partido disso nas fotos”, comenta.

Esse tipo de fotografia surgiu há menos de dez anos nos EUA com as irmãs gêmeas Kelley Ryden e a Tracy Raven que passaram a dar cursos ensinando a técnica para fotógrafos de todo o mundo. No Brasil, esse tipo de foto tem sido cada vez mais procurada pelos pais e, por isso, foi criada recentemente a ABFRN (Associação Brasileira de Fotógrafos de Recém-nascidos). A ideia da associação é cadastrar os profissionais aptos a fazer esse tipo de trabalho e trocar experiências sobre o assunto. Os interessados podem consultar no site da associação os profissionais aptos a fazer esse tipo de trabalho. Segundo Laura, uma das fundadoras da associação, os pais devem tomar muito cuidado e não escolher o profissional que cobra mais barato. Segundo ela, o fotógrafo é o responsável por conduzir a sessão e manusear o bebê.

O preço das sessões não sai por menos de R$ 800 e pode variar de acordo com a quantidade de fotos e se o material será entregue em um álbum ou só no DVD. Os profissionais fazem também pacotes promocionais para casais que fazem a foto da gestante e depois do bebê também.  Antes de contratar, olhe o trabalho do profissional que geralmente é divulgado em site e visite um estúdio para  verificar se o local pode receber o seu bebê.