Calor, esse inimigo de festinha infantil

Por FABIANA FUTEMA

Você passa umas duas ou três semanas planejando um bolinho para comemorar o aniversário do filhote. Só para a data não passar em branco. No começo, queria chamar só os avós e tios e soprar velinhas na sala de casa depois do almoço de domingo.

Como a sala é pequena, resolve alugar o salão de festa do prédio. Mas é desperdício alugar o salão para tão poucas pessoas. Resolve então chamar mais um pouco de gente. Mas o salão é pequeno para tantos parentes e amigos queridos. O jeito é cortar gente da lista. Não é por falta de afeto, mas pela inexistência de espaço mesmo.

Lista feita, você passa ao planejamento efetivo da festa. Resolve fazer sozinha a decoração e descobre o quanto isso é cansativo. Deixa um monte de coisa para o último dia e fica um trapo! Mal consegue ter forçar para receber os convidados.

Só não virei farofa porque tem a ajuda de uma prima criativa que fez decoração personalizada. E da amiga que me ajudou a arrumar o salão. Fora a vizinha amada que ficou com o filho para que eu pudesse finalizar os preparativos.

Calorzão

Não há planejamento de festa infantil que resista ao calor infernal deste começo de ano em São Paulo.

De nada adianta a comida gostosinha, bebida estar geladinha e ter brinquedo para as crianças. A decoração de mesa até estava bonitinha. Havia mesa e cadeira para todos. As lembrancinhas estavam ok. Seria o suficiente para a festa não ser um fracasso. Seria…

Só que moro em São Paulo, terra que resolveu desconhecer o significado de frio e umidade. E sábado, dia mais quente do ano, meus convidados suavam dentro do salão que mais parecia uma fornalha de padaria.

Era impossível permanecer dentro do salão, que dispunha de dois meros ventiladorzinhos. A área externa era insuficiente para acomodar a todos.

Os que puderem se ajeitaram do lado de fora. Os que ficaram do lado de dentro se abanavam como podiam. Como senti falta de ter comprado leques para dar de lembrança. #ficaadica

Eu, calorenta desde o útero, me senti incomodada pelos convidados. Por mais bebida gelada que houvesse, era impossível não ficar ensebado.

Minha resolução para 2015 é fazer festa somente em salões com ar condicionado. Ou em horários com temperaturas mais amenas (de madrugada?).

Para quem ainda vai festejar

Se você pretende fazer festa com esse calorzão, seja generoso com as bebidas. A conta média por pessoa é de 600 ml de refrigerante, 200 ml de água e 800 ml de cerveja. Mas com esse calor recorde eu acrescentaria 300 ml a mais em cada item.

X

Para salgadinhos, a conta média é de dez unidades por pessoa. Docinhos, quatro por pessoa. Calcule 100 gr de bolo por convidado.

Na minha festa sobrou bebida. Mas sempre prefiro que sobre do que sair correndo para comprar.