Você comeria no banheiro? O bebê também não…

Por Giovanna Balogh
X

Você gostaria de almoçar no banheiro? É claro que não. Ninguém gostaria. E por que um bebê teria que ser alimentado nesse lugar? Com a intenção de chocar e mostrar que a mulher tem o direito de amamentar em qualquer lugar sem ser recriminada, dois universitários dos EUA criaram fotos para fazer uma campanha a favor da amamentação em locais públicos.

Os estudantes de design da Universidade do Norte do Texas, Johnathan Wenske e  Kris Haro criaram a página When Nurture Calls (quando a alimentação chama, em tradução livre) com o intuito de mostrar que não tem hora para o bebê ser alimentado, ou seja, a mãe pode estar com ele no meio do mercado ou no shopping e terá que oferecer o seio para seu filho.

Os estudantes elaboraram três cartazes com frases como “mesa para dois”, “jantar particular” e “bom apetite”. Na imagem há ainda a frase: “você comeria aqui?”. Eles não imaginavam, no entanto, que as imagens iriam se popularizar nas redes sociais. No ano passado, o Maternar mostrou um projeto fotográfico que também tem o objetivo de incentivar a amamentação em público.

Segundo Wenske, a ideia surgiu após ver uma reportagem sobre uma mãe que foi obrigada a sair de uma loja de departamento no Texas só porque estava amamentando seu bebê. No Brasil, não é diferente. Vários mamaços (amamentação coletiva) foram feitos nos últimos anos em protesto após mães serem recriminadas de amamentar em local público.

Um projeto de lei que tramita na Câmara de São Paulo prevê multa para o estabelecimento de São Paulo que proibir ou de alguma forma constranger uma mãe durante a amamentação. Se for aprovado, é prevista multa de R$ 500 para quem tentar barrar uma mulher de amamentar a criança em público. Em  caso de reincidência, o valor dobra. De acordo com o projeto do vereador Aurélio Nomura (PSDB), ambientes públicos e privados poderão ser multados.

Mães que fazem parte do grupo AMS (Aleitamento Materno Solidário) tem organizado um abaixo-assinado para que seja criado um projeto nacional para permitir que a mãe  tenha direito de amamentar em qualquer lugar. Já foram coletadas 7.000 assinaturas, mas é preciso chegar a 100 mil. Para assinar a petição, basta clicar aqui.

A recomendação do Ministério da Saúde e da OMS (Organização Mundial da Saúde) é que o aleitamento materno seja feita de forma exclusiva até os seis meses e como complemento até os dois anos ou mais.

Além das fotos, o projeto prevê ainda a criação de um aplicativo chamado Breast Friends (amigos do peito, em tradução livre). Ainda em fase de elaboração, a ideia é que o app esteja disponível em breve e permita que as mães troquem informações sobre locais onde possam amamentar  livremente.