Grávidas são as que menos aderem à vacinação contra a gripe em SP

Por FABIANA FUTEMA

Só 50% das grávidas do Estado de São Paulo aderiram à campanha de vacinação contra a gripe, iniciada no dia 22 de abril. É o menor índice de adesão entre os grupos alvos da campanha.

Balanço divulgado terça-feira (20) pela Secretaria de Estado da Saúde mostra que foram imunizadas 229,9 mil grávidas, o que corresponde a 50,25% do grupo no Estado de São Paulo.

Neste ano, as crianças de até 4 anos e 11 meses foram incluídas na campanha. Antes, só participavam da campanha crianças de 6 meses até 1 ano e 11 meses. Os pais que quisessem imunizar o filho contra a gripe tinham de pagar para vaciná-lo numa clínica particular.

Apesar da economia, muitos pais ainda não levaram o filho ao posto de saúde para tomar a vacina contra a gripe. De acordo com o balanço da secretaria, a campanha atingiu 63,82% do público alvo, com 1,6 milhão de doses aplicadas em crianças que ainda não completaram 5 anos.

A pediatra do meu filho recomenda todo ano que ele tome a vacina da gripe. No ano passado, tive de pagar, pois ele estava fora da idade da campanha. Mas conheço mães que preferem não vacinar. Na dúvida, consulte seu pediatra. Acho que o raciocínio é o mesmo para as gestantes: consulte seu obstetra.

Para atingir a meta de vacinação, a secretaria recomenda que os municípios paulistas prorroguem a campanha até o dia 30.

No lado oposto, entre os grupos que mais aderiram à campanha estão as puérperas (mulheres até 45 dias após o parto), com 80% de cobertura.

Os grupos alvos da campanha são os idosos com 60 anos ou mais, gestantes, puérperas, crianças entre seis meses e menos de 5 anos, indígenas, pacientes diagnosticados com doenças crônicas e profissionais de saúde do Estado.

“É importante reforçar que a vacina é distribuída gratuitamente em qualquer posto de vacinação. Vale esclarecer também que a vacina não provoca, de maneira nenhuma, gripe em quem tomar a dose, pois é feita de pequenos fragmentos do vírus que são incapazes de causar qualquer infecção”, afirma Helena Sato, diretora de Imunização da Secretaria.

 

Só 50% das grávidas do Estado de SP aderiram à campanha de vacinação contra a gripe Foto: Silva Junior/Folhapress)
Só 50% das grávidas do Estado de SP aderiram à campanha de vacinação contra a gripe Foto: Silva Junior/Folhapress)