Como voltar ao  trabalho sem desmamar seu filho

Por Giovanna Balogh
Após retornar ao trabalho, mãe pode continuar com a amamentação (Foto: Carin Araujo/SXC)
Após retornar ao trabalho, mãe pode continuar com a amamentação (Foto: Carin Araujo/SXC)

Voltar ao trabalho não significa que é preciso desmamar a criança. Mas, para isso, é preciso  planejamento e, é claro, muita dedicação.

A recomendação é que dias antes você teste as bombas para tirar o leite que será servido ao seu filho pela babá, avó ou pelas tias da creche. Antes de optar em comprar uma, é possível testar os diferentes tipos de bombas, que podem ser manuais ou elétricas. Há lojas que alugam os equipamentos para as mães. Escolhida a bomba,  começa a ordenha dias  antes da volta ao trabalho pois é preciso deixar um bom estoque preparado.

O leite congelado, segundo o Ministério da Saúde, é válido por até 15 dias.  “No começo, é comum sair pouco leite, mas aos poucos o corpo vai se adaptando com a bomba, que faz um movimento diferente do da sucção do bebê”, comenta a consultora em amamentação Fabiola Cassab, do Matrice (grupo de apoio à amamentação).

Ela aconselha que as mulheres tirem o leite sempre no mesmo horário para o corpo acostume com aquela produção. O leite deve ser sempre armazenado em embalagens de vidro com tapa de plástico.

O melhor é utilizar vidros de 60 ml ou 80 ml para evitar que o leite seja desperdiçado. “Como não sabemos quanto o bebê irá mamar, é melhor armazenar em pequenas porções pois uma vez descongelado, o leite não pode ser reaproveitado”, explica. A recomendação é conversar com o pediatra para saber quanto deixar de leite para cada mamada pois isso varia de acordo com a idade da criança.

Fabiola diz ainda que após retirar o leite, a mãe deve armazená-lo em uma geladeira e depois fazer o transporte até em casa em bolsas térmicas. Também é muito importante os cuidados de higiene ao tirar o leite, ou seja, a bomba e os potinhos de vidro precisam ser fervidos antes de serem utilizados.

Se a mulher vai ficar cerca de oito horas longe do filho, pode tirar o leite apenas uma vez, mas a consultora recomenda mais de uma ordenha no trabalho caso a mulher sinta o peito encher demais. “Aí é bom tirar de novo pois poderá ter uma mastite [inflamação da mama]”, comenta.

COMO SERVIR

Para que o desmame não ocorra, a consultora recomenda que o leite seja servido em copinho ou naqueles copos de transição com bico duro para que não haja ‘confusão de bicos’ e a criança deixe de querer o seio materno.

Até o bebê completar seis meses, a lei prevê que a mãe tire dois intervalos de meia hora no trabalho para fazer a ordenha ou ainda deixe o trabalho uma hora mais cedo.

Algumas empresas oferecem salas próprias para as mães tirarem o leite, mas muitas trabalhadoras ainda não contam com essa comodidade e são obrigadas a usar, por exemplo, o banheiro na ordenha. “Não é o lugar ideal, mas é melhor tirar leite lá do que dar leite artificial para o bebê”, comenta. A retirada do leite é aconselhável até o bebê completar um ano. Após essa idade, o leite materno na escolinha, por exemplo, poderá ser substituído por um suco, chá ou uma fruta. “A mãe pode parar de tirar, mas continua oferecendo o seio quando está com o bebê sempre que está com ele. Assim, é perfeitamente possível continuar trabalhando e amamentando até os dois anos ou mais da criança”, comenta.

Fabiola ressalta que após a mãe voltar ao trabalho, é natural que o bebê acorde mais vezes durante a madrugada. “O bebê até os seis meses ainda acha que é parte da mãe, ele sente saudade, a angústia da separação. Vai acordar mais de madrugada pois quer o conforto do colo, do peito da mãe”, comenta.

Tirar leite dá trabalho, cansa, muitas vezes gera desconfortos no trabalho, mas compensa qualquer sacrifício. Afinal, não há leite melhor para as crianças do que o leite materno. Diferentes estudos mostram que bebê que mama exclusivamente leite materno adoece menos. E você, como foi a sua volta ao trabalho? Continuou com a amamentação?

CUIDADOS COM O ARMAZENAMENTO DO LEITE MATERNO

O frasco onde o leite será armazenado deve ser lavado com água e sabão e fervido por 20 minutos

O leite pode ser armazenado na geladeira por um período de apenas 24 horas antes de ser consumido. Não armazena na porta da geladeira, mas em local mais fundo para deixar longe de alimentos com cheiro que o leite materno possa absorver

O leite materno pode ser congelado por até 15 dias.  Prefira os frascos de vidro com tampa plástica. Importante: o leite só pode ficar na temperatura ambiente por, no máximo, 30 minutos.  Ao transportar da empresa até a escola do filho, por exemplo, leve sempre em bolsas térmicas com gelo.

Para aquecer o leite materno use apenas o banho maria. Quando começar a formar as bolhinhas na panela, desligue o fogo e coloque os frascos. Para o leite refrigerado, deixe de 3 a 5 minutos e, para o congelado, de 10 a 15 minutos.

 COMO OFERECER O LEITE MATERNO AO BEBÊ

Não utilize mamadeiras convencionais pois o bebê pode ingerir uma grande quantidade e, por ser mais fácil de sugar, poderá deixar de mamar no peito

Existem opções para servir o leite como copo dosador,  copo de treinamento (para bebês acima de 4 meses) e  colher com ponta de silicone – conta gotas