Videogame demais pode deixar seu filho com olho seco; saiba mais

Por FABIANA FUTEMA

Férias e dias chuvosos e frios. Essa pode ser uma combinação perigosa para as crianças que ficam muito tempo em casa sem ter com o que se distrair. Para entretê-los, muitos pais acabam liberando por mais tempo o uso do videogame e computador.

O que alguns pais não sabem é que ficar muito tempo ‘vidrado’ na tela do computador ou videogame pode ajudar a desencadear na criança os sintomas da síndrome do olho seco.

Isso ocorre porque a criança fica tão envolvida com o jogo que acaba não piscando com a frequência necessária. E sem piscar, não lubrifica o olho.

Para evitar o problema, os pais devem lembrar a criança sobre a necessidade de piscar.

“O ideal é incentivar as crianças a dividirem seu tempo entre o computador e as atividades ao ar livre. Se isso parece difícil, experimente fazê-las piscar entre um alvo e outro”, diz André Berger, oftalmologista diretor da APOS (Associação Brasileira de Portadores de Olho Seco).

A doença do olho seco é caracterizada pela diminuição da produção de lágrimas e pode provocar lesões à córnea.

Segundo a entidade, os sintomas do olho seco são ardor, irritação, sensação de areia nos olhos, dificuldade para ficar em lugares com ar condicionado ou em frente do computador e olhos embaçados ao final do dia.

A APOS diz que que a doença pode ser controlada se for detectada e tratada desde o início.

Lembre seu filho de piscar enquanto ele joga videogame  (Foto: Shutterstock)
Lembre seu filho de piscar enquanto ele joga videogame (Foto: Shutterstock)