Mães antecipam parto para escolher o signo dos filhos

Por Giovanna Balogh
 Simone  decidiu marcar o parto para que seu filho, que nasceu prematuro ( Foto: Ronny Santos/Folhapress)
Simone decidiu marcar o parto para o filho ser do signo de câncer ( Foto: Ronny Santos/Folhapress)

Numerologia, escolha do signo, data cabalística como 12/12/2012. Os motivos são diversos, mas muitas mulheres agendam o dia do nascimento do filho segundo suas crenças e, é claro, preferências.

A analista tributária Juliana de Freitas Ramos, 28, ia marcar sua cesárea no ano passado para 22 de julho, data de sua santa de devoção.

“Mas, quando percebi que seria leonino, mudei de ideia na hora”, conta Juliana, que acha leão um signo “muito dominador e egoísta”.

“Optei por ele nascer no dia 19, que é aniversário da minha irmã. O Arthur foi o melhor presente para ela”, diz a analista.

A gerente de operações Priscila Rodrigues da Silva Tavares Santiago, 29, soube pelo ultrassom que a data provável do parto era o dia do aniversário da filha mais velha.

“Meu marido na hora falou para agendarmos a cesárea para o mesmo dia. O bebê seria o presentão dela”, conta Priscila, que também marcou o parto da primeira filha: um dia 6, como seu aniversário.

Outro motivo que leva mães a optarem pela cesárea eletiva (sem urgência) são as datas cabalísticas.

A agente de viagens, Celiana Yun, 34, escolheu o dia 12 de dezembro de 2012 para o filho Micael nascer. Além de garantir a data, ela conta que optou em marcar a cesárea também para não sentir dor.

“A maternidade estava lotada. Eu só consegui porque enchi a paciência da secretária da minha médica para reservar esse dia”, conta.

Segundo Celiana, o bebê estava previsto para nascer dia 16 de dezembro, e a médica disse não haver problema em antecipar alguns dias.

SEM SINAL

Coordenada pela Fundação Oswaldo Cruz, a pesquisa Nascer no Brasil mostra que 34% das cesáreas ocorrem sem a mulher ter sinal de trabalho de parto.

Segundo o levantamento, 28% delas não têm doença ou problema que indicasse a cirurgia –ou seja, ela é feita na maioria das vezes por opção da gestante ou do médico.

Médicos afirmam que um dos maiores riscos de agendar a cesariana é não saber exatamente a idade gestacional do bebê. Assim, a criança pode nascer prematura.

Recentemente, a atriz Ana Paula Tabalipa declarou ter antecipado o parto do quarto filho para que ele não fosse virginiano. Segundo ela, o bebê nasceu “quase prematuro” e precisou ficar na UTI.

A declaração teve repercussão negativa nas redes sociais, onde ela foi criticada por defensoras do parto normal. Em resposta, a atriz disse no Facebook que as pessoas “deveriam cuidar da sua própria vida”. A Folha não conseguiu contatá-la.

Também motivada pela astrologia, a professora Simone Cristina da Silva, 45, marcou o parto para que seu filho André, hoje com seis anos, fosse do signo de câncer e tivesse “as mesmas características e inteligência” do filho mais velho, canceriano.

Após a cirurgia, porém, o bebê ficou em uma UTI (Unidade de Terapia Intensiva) por desconforto respiratório.

“A saúde dele ficou fragilizada nos primeiros anos de vida por causa da prematuridade. Se fosse hoje, esperava o parto normal ou algum sinal de que estava pronto para nascer”, diz Simone.