Aproveite o Dia das Crianças para iniciar seu filho no consumo sustentável

Por FABIANA FUTEMA
Busque fazer atividades com o filho longe da TV e valorize o ser em vez do ter  (Foto: SXC)
Busque fazer atividades com o filho longe da TV e valorize o ser em vez do ter (Foto: SXC)

O Dia das Crianças está chegando. A menos que seu filho não tenha sido apresentado à TV, dificilmente ele vai deixar de saber sobre a proximidade dessa data tão festejada pelo comércio. É que os intervalos dos programas infantis são recheados de filmes publicitários que incentivam a compra de brinquedos para a ocasião.

Mas a Proteste Associação de Consumidores defende que neste ano os pais ensinem aos filhos um pouco sobre consumo consciente.

Segundo a entidade, o consumo desenfreado também afeta a sustentabilidade do planeta. Para que os pais ensinem aos filhos que ser é melhor que ter, a Proteste divulgou dicas do Instituto Akatu para estimular o consumo consciente no Dia das Crianças:

– Limite o tempo que seu filho passa diante da TV, já que ela é uma das responsáveis  pelo estímulo ao consumo nesta data. Evite colocar o aparelho no quarto da criança.

– Assista aos programas infantis com seu filho. E quando aparecerem comerciais que vendem produtos infantis, converse com ele sobre valor elevado ou a real necessidade de aquisição.

-Busque fazer atividades com a criança longe da TV, como ler histórias, brincar ou mesmo convidá-lo para ajudar a preparar o jantar.

– Seja um exemplo. Se você é uma pessoa que acha que o melhor programa do mundo é ir ao shopping center, provavelmente seu filho achará o mesmo. Por isso, fique atento às suas ações consumistas, para não ser imitado pela criança depois.

– Leve seu filho às compras com você só quando for realmente necessário.

– Quando estiver fazendo compras junto à criança, converse com ela sobre o que pode ou não comprar e o porquê disso.

-Saiba dizer não mesmo quando a criança insistir na compra de um produto. Estabelecer limites vai ser importante para ele entender que o consumo deve ser bem pensado.

-Se decidir comprar, negocie a aquisição de um brinquedo mais em conta e, promova a prática de uma ação lúdica e gratuita, como ir ao parque ou à praia.

– Mostre à criança que ela não precisa de brinquedos para se divertir e se sentir bem.

– Por fim, estimule seu filho a separar brinquedos e roupas para doar a outras crianças.

Não está na lista do instituto Akatu, mas eu também daria como dica a participação em feiras de trocas de brinquedos. É uma forma de ter um brinquedo novo sem custo e ao mesmo tempo ajuda a esvaziar o cantinho da bagunça.

FALAR É FÁCIL (NOTA PESSOAL)

Imagino que muita gente possa achar essas dicas muito bacanas, mas difíceis de serem seguidas, já que crianças são muito persuasivas.

E mesmo que os pais resistam ao impulso consumista, ainda existem tios, avós e primos para mimar o pequeno consumidor.

Então, sem neura. Faça sua parte. O importante é conversar o quanto antes com a criança sobre consumo consciente.