Saiba por que botinhas ortopédicas caíram em desuso e quando comprar sapato para o filho

Por FABIANA FUTEMA
Ortopedista diz que sapatinhos devem proteger os pequenos pés (Foto: Gerry Broome/AP)
Ortopedista diz que sapatinhos devem proteger os pequenos pés (Foto: Gerry Broome/AP)

Crianças não precisam usar sapato até aprenderem a andar. Essa frase pode parecer óbvia, exceto para mães encantadas com as inúmeras ofertas de sapatinhos infantis. E são tantos modelos, principalmente para meninas.

O presidente do comitê de campanhas públicas da Sbot (Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia), Edilson Forlin, diz que a função do calçado é principalmente proteger os pés.

Segundo ele, crianças que ainda não aprenderam a andar devem ficar confortáveis. “O ideal é ficar descalço. Ou usar sapatos bem molinhos.”

E o uso de botinhas e palmilhas ortopédicas? Muitas vezes os pais se preocupam com a falta de arco na planta do pé do bebê.

Forlin diz que atualmente são raríssimos os casos de indicação de uso para esse tipo de calçado _um deles é o pé torto congênito.

“Antigamente, acreditava-se que o calçado tinha o poder de corrigir e moldar a forma do pé. Não se comprovou isso. Sabe-se que essa forma vai se desenvolver independentemente do tipo de calçado que a criança usar”, diz Forlin, membro do Comitê de Ortopedia Pediátrica.

Segundo ele, em média, 90% das crianças possuem o chamado pé chato _o pé plano valgo_ aos 2 anos de idade. Aos 8 anos, só 10% continuam com essa condição. “Se eu der chá de hortelã ou não fizer nada é bem provável que essa criança deixe de ter pé chato.”

Forlin diz que estudos recentes também derrubam outro mito em relação ao pé chato:  que pessoas com esse tipo e pé sentem mais dores nas costas. “Entre adultos de 50 a 75 anos, as que mais relataram problemas de dores eram as que tinham pé cavo [curva acentuada].”

QUANDO SE PREOCUPAR

Segundo o ortopedista, os pais devem se preocupar com o pé do filho se ele fizer queixas frequentes de dores, começar a mancar sempre ou perder a mobilidade dessa parte do corpo.

Em qualquer dessas situações, a recomendação é procurar o mais rápido possível por um especialista.

QUANDO TROCAR

Crianças demoram para aprender a avisar aos pais que o sapato ficou apertado e está na hora de trocar de número.

Somos nós que devemos ficar atentos ao tamanho do calçado.

Forlin diz que o ideal, na hora de comprar, é que o calçado tenha pelo menos um dedo de folga na parte da frente. “Os pés crescem muito rapidamente, se não tiver essa folguinha, vão perder logo o sapato.”

No entanto, ele minimiza possíveis estragos pelo uso de sapatos apertados aos pequenos pés das crianças. “Sempre digo que um pé estraga um sapato, mas um sapato não estraga um pé.”