(Poucas) Empresas oferecem consultoria pós-parto para funcionárias

Por FABIANA FUTEMA
Erika Louise diz que consultoria ajudou-a com a amamentação da filha (Foto: Arquivo pessoal)
Erika Louise diz que consultoria ajudou-a com a amamentação da filha (Foto: Arquivo pessoal)

Quem nunca teve dúvidas sobre a melhor maneira de amamentar o bebê? Ou sobre o jeito de segurar a criança na hora do banho? Sobre a limpeza do umbigo do recém-nascido, então, nem se fala…  Você mãe experiente pode já ter se esquecido dos primeiros dias em casa com o recém-nascido. Mas mães de primeira viagem sabem muito bem quantos questionamentos podem surgir nesse comecinho de relação com o filho.

Para sorte de algumas poucas mães, já há empresas que oferecem para suas funcionárias consultoria e acompanhamento pós-parto. Esse é o caso do Itaú e do Boticário, por exemplo.

A Erika Louise, 34, relações públicas do Itaú, recebeu a visita de uma enfermeira obstétrica enviada pela empresa três dias depois de sair da maternidade. A enfermeira ajudou Erika a encontrar uma posição mais confortável para amamentar o filho Caio, hoje com 10 meses.

“Foi legal, pois eu não conhecia a posição invertida para amamentar e estava com dificuldade para fazer o bebê pegar o peito. Depois de aprender essa posição, consegui amamentar sem problemas”, diz ela.

Além da visitação de enfermeiras, o programa do Itaú também conta com psicólogas para atender as mães que acabaram de ter o bebê.

Erika diz que além da visita física, o banco também oferece um serviço de acompanhamento por telefone por meio do qual ela pode tirar dúvidas e contar como anda a vida pós-parto. “Eles sempre ligam para saber se está tudo bem, como estou, se preciso de alguma coisa ou perguntar se tenho alguma dúvida. Para pessoas como eu, que não têm parentes por perto, é muito bom ter esse auxílio.”

O programa de consultoria materna do Itaú foi lançado em 2011 e atende funcionárias de São Paulo e Grande SP. Para colaboradoras de outras regiões, o suporte é dado apenas por telefone.

A analista de saúde ocupacional do Boticário, Nágila Aparecida Bonomo Oliviera, 31, é uma das 215 funcionárias atendidas pelo programa. Como Erika, ela também teve dúvidas sobre amamentação. “A principal dúvida e maior dificuldade foi com a amamentação, pois tive mastite e edema nas mamas.”

Segundo ela, a enfermeira ajudou ensinou técnicas para abocanhar o mamilo, cuidados com as mamas, além de armazenamento e transporte do leite materno. “A Sofia também foi monitorada quanto ao ganho de peso, pois tive dificuldade para amamentar devido ao excesso de leite.”

No Boticário, o programa de consultoria foi criado em 2008 e atende funcionárias e dependentes de colaboradores, como mulheres e filhas.

“A visita [da enfermeira] é realizada entre 4 e 7 dias após o parto, período em que geralmente ocorrem as intercorrências que desestimulam o aleitamento materno”, diz Rosely Maximiano, gerente de compensação e qualidade de vida do grupo.

“Queremos proporcionar conhecimentos específicos, para que as mães se sintam mais seguras durante todo o processo que envolve o cuidado com o bebê”, afirma a gerente.