Correios já permitem adotar cartinhas do Papai Noel

Por Giovanna Balogh
Cartinhas podem ser adotadas nos Correios (Foto: Lalo de Almeida - 8.dez.2008/Folhapress)
Cartinhas podem ser adotadas nos Correios (Foto: Lalo de Almeida – 8.dez.2008/Folhapress)

Joãozinho sonha em ter um carrinho e a irmã Bianca  uma boneca. Paulinho quer um emprego para o pai enquanto Maria sonha em ter um micro-ondas em casa. Os pedidos neste fim de ano são os mais diferentes possíveis e são feitos em cartinhas endereçadas ao Papai Noel.

Como não dá para entregar essas cartas ao bom velhinho, os Correios permitem que as pessoas adotem uma cartinha e realizem o sonho de uma criança.

A campanha foi lançada nesta quinta-feira (13) e já é realizada há 25 anos pela empresa. A ideia é atender, segundo os Correios, os pedidos daqueles que estão em situação de vulnerabilidade social.

Nos últimos três anos, foram recebidas 3,1 milhões de cartas destinadas ao Papai Noel. Desse total, 1,9 milhões atendiam aos critérios da campanha e quase 74% foram adotadas.

Em 2013, na região metropolitana de SP, os Correios receberam cerca de 200 mil cartinhas, das quais 98 mil foram cadastradas por se enquadrar nos critérios da campanha.  Mais de 50 mil crianças foram presenteadas. Em todo o Brasil, foram 600 mil cartas enviadas e 500 mil atendidas.

Desde 2010, os Correios estabeleceram parcerias com escolas públicas, creches e abrigos que atendem crianças carentes. O objetivo é trabalhar ações como desenvolver a habilidade da redação de carta, endereçar e usar corretamente o CEP.

COMO ADOTAR UMA CARTINHA?

Todas as cartas que chegam aos Correios são lidas e passam por uma triagem. Em seguida, elas ficam disponíveis para adoção na casa do Papai Noel montadas nos Correios ou em outras unidades da empresa.

As pessoas podem ler e escolher a cartinha que mais se identificam.

Ao adotar uma cartinha, o padrinho compra o presente e entrega nos Correios, que fica responsável por entregar o brinquedo, por exemplo. Não é permitido que a pessoa faça a entrega diretamente e, por esse motivo, o ‘padrinho’ da criança não é informado sobre onde ela mora.

As cartinhas podem ser adotadas em todo o país, mas varia até que data é possível escolher a carta.  Na Grande SP, por exemplo, é possível adotar a carta até o dia 16 de dezembro em um dos 130 pontos dos Correios da Grande São Paulo.

Mais informações podem ser obtidas no site da campanha ou pelos telefones  3003 0100 (capitais e regiões metropolitanas) e 0800 725 7282 (demais localidades).