Inmetro passa a fiscalizar presença de bisfenol nas mamadeiras

Por FABIANA FUTEMA

Desde 2012 é proibido vender mamadeiras com bisfenol A (BPA) no Brasil, substância considerada cancerígena. A proibição foi determinada em 2011 pela Anvisa.

Mas a certificação que verificará se as mamadeiras e bicos produzidos e vendidos no Brasil estão mesmo livres de bisfenol saiu no começo do mês em portaria publicada pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia).

De acordo com a portaria, as mamadeiras e bicos produzidos e importados deverão ser livres de BPA dentro de 12 meses, ou seja, a partir de novembro de 2015.

Em nota, a Abrapur (Associação Brasileira de Produtos Infantis) informa que o bisfenol A foi excluído ‘dos produtos há três anos por iniciativa dos próprios fabricantes, portanto antes da normatização’.

Na prática, a portaria define a metodologia de testes a que as mamadeiras e bicos serão submetidos para analisar se realmente estão livres de BPA.

É comum encontrarmos nas lojas de produtos infantis mamadeiras à venda com a informação ‘livre de BPA’. Só que até agora nenhum teste media se essas mamadeiras realmente não possuíam essa substância.

 

Inmetro vai fiscalizar se empresas estão vendendo mamadeiras sem BPA (Crédito: Shutterstock))
Inmetro vai fiscalizar se empresas estão vendendo mamadeiras sem BPA (Crédito: Shutterstock))