Veja cuidados a tomar com ventilador e ar-condicionado em casas com crianças

Por FABIANA FUTEMA
Ventilador não deve ficar voltado diretamente para criança, diz pediatra (Foto: Fotolia)
Ventilador não deve ficar voltado diretamente para criança, diz pediatra (Foto: Fotolia)

Com dias cada vez mais quentes, é natural sonhar com ambientes com ar-condicionado. Ou que possuam ao menos ter um ventiladorzinho. Mas será que esses acessórios fazem bem para as crianças?

O pediatra e neonatologista, Dr. Jorge Huberman diz que é preciso moderação na utilização desses itens. Apesar de refrescar o ambiente, o ar seco e gelado pode deixar a mucosa da garganta vulnerável às bactérias. Com isso podem aparecer infecções, como dor de garganta.

Segundo ele, o ventilador não deve ser virado diretamente para a criança. O ideal é direcioná-lo para o teto ou parede contrária à criança. Já o ar-condicionado não deve ficar muito gelado. “Ele deve ser regulado em uma temperatura mais amena, 23°C ou 24°C.”

Como o ar-condicionado resseca o ambiente, os pais devem tomar cuidado com a hidratação das narinas e olhos. A dica de ouro, que vale para qualquer estação do ano, é aplicar soro fisiológico no nariz da criança, além de usar o produto para fazer inalações. Também vale colocar um balde com água no quarto longe do alcance da criança.

HIDRATAÇÃO

Os pais também devem se lembrar de manter a criança bem hidratada, preferencialmente com água. Quando a gente fica em ambientes mais frescos, podemos nos esquecer de beber líquidos.

Huberman  lembra que a hidratação deve ser mantida nos passeios. “O hábito de sair sempre com uma garrafinha de água, suco ou água de coco para hidratar o filho e evitar o refrigerante, pois hidrata pouco, já é um começo.”

Dados divulgados nesta terça-feira pela Secretaria Estadual de Saúde informam que crianças e adolescentes são as principais vítimas da desidratação no verão.

Os sintomas da desidratação são sede exagerada, olhos fundos, boca e pele secas, ausência de lágrimas e diminuição do suor.

Nos bebês, os sinais são a moleira afundada e irritabilidade, além da diminuição da urina. Dor de cabeça, sonolência, tonturas, fraqueza, cansaço e aumento da frequência cardíaca também podem estar associados a episódios de desidratação.

ROUPAS

Não esqueça nunca de passar protetor solar na criança. Prefira sair de casa antes das 10h ou depois das 16h, segundo Huberman.

“Roupas de algodão, linho ou claras são as ideais. Evite as de fibras artificiais, pois elas esquentam mais. Mesmo saindo no horário correto não se esqueça de usar o protetor solar indicado pelo pediatra da criança. Boné e óculos são bem vindos também”, recomenda o pediatra.