SP ganha casa onde mãe pode trabalhar perto dos filhos

Por Giovanna Balogh
Bebês e crianças brincam enquanto os pais trabalham (Foto: Divulgação)
Bebês e crianças brincam enquanto os pais trabalham (Foto: Divulgação)

Um dos maiores sofrimentos da maternidade moderna é, sem dúvida, a volta ao trabalho e a separação dos filhos. Vai dizer que não passou pela sua cabeça largar tudo nas últimas semanas de licença-maternidade?

Muitas sofrem por não conseguir encontrar essa alternativa nas suas vidas seja por questão financeira ou por simplesmente não querer – ou poder – abrir mão de sua carreira.

Outras optam em largar o emprego e passam a trabalhar de casa, ou seja, viram empreendedoras para serem donas do próprio tempo. Mas, trabalhar em casa e ainda ter um bebê para cuidar não é nada fácil.

Mãe de uma menina de sete anos e de outras de apenas cinco meses, a tradutora Carina Lucindo Borrego, 35, sabe bem como é deixar um filho pequeno em uma creche em período integral e sair para trabalhar. Ela conta que a filha Brigitte foi antes de completar quatro meses para a escolinha e ficava das 7h às 18h30 enquanto ela seguia para o trabalho de tradutora em um grande consultório de advocacia. Carina conta que mal via a filha e que ao crescer um pouco a menina passou a reclamar de ficar tantas horas afastada da mãe.

Ao compartilhar suas angústias com outras mães ela decidiu mudar de vida em 2013, antes de engravidar de novo. Largou o emprego e decidiu criar um espaço onde os pais pudessem fazer um co-working familiar, ou seja, trabalhar perto das crias.

Mães com seus bebês na Casa do Viver (Foto: Divulgação)
Mães com seus bebês na Casa de Viver (Foto: Divulgação)

Foi pensando nisso que surgiu a Casa de Viver, que está sendo inaugurada nesta segunda-feira (9) na Vila Mariana, na zona sul de São Paulo. Carina e duas sócias criaram o espaço onde os pais podem trabalhar enquanto os filhos ficam no andar superior com cuidadores. Carina explica que a Casa Viver é diferente de uma creche convencional pois seus filhos só podem ficar lá se a mãe ou pai estiver no espaço trabalhando.

Inicialmente, a ideia é que o espaço seja voltado para crianças de zero a quatro anos, mas que nenhum limite foi imposto ainda. “Vamos esperar a demanda para ver como fica”, diz Carina, que levará a filha mais velha todas as manhãs para o espaço. Depois, a menina irá para a escola enquanto a caçula fica o tempo todo com ela.

Segundo Carina, uma das vantagens é que a amamentação não é prejudicada e a mãe pode dar, por exemplo, as refeições para os seus filhos, dar colo se ele estiver com sono, enfim, tudo o que a maioria das mães quer quando pensa em conciliar trabalho e filhos.

Carina diz que o projeto tomou o formato final depois de ouvir muitas mulheres em rodas de mães e encontros com empreendedoras. Os interessados podem comprar pacotes de horas para trabalhar no local enquanto o seu bebê é cuidado. “Os pacotes são de 5h mensais no mínimo até oito horas todos os dias na semana”, comenta Carina. O espaço funciona de segunda à sexta-feira das 8h às 18h. Lá, os pais têm bancadas com internet onde podem instalar seus laptops e trabalhar tranquilamente.

Ela diz que além da área de trabalho para os pais e o espaço das crianças, o local terá ainda aulas de ioga, oficinas de alimentação saudável, cursos e até uma sala mista para o caso dos pais que quiserem trabalhar junto com os filhos. No local também haverá uma espécie de lojinha onde as mães que fazem, por exemplo, artesanato poderão expor suas peças. A ideia, comenta Carina, é reunir em um só espaço tudo o que é essencial em nossas vidas.

Carina diz que para terminar de equipar a casa fez um financiamento coletivo onde a pessoa que doa recebe contrapartidas como, por exemplo, descontos promocionais para utilização da Casa de Viver. Veja a seguir um vídeo feito antes do espaço ser inaugurado. A Casa de Viver fica na rua Afonso Celso, 140. Mais informações no site do Casa de Viver.