Mãe diz ter sido constrangida ao amamentar em espaço família de shopping  

Por Giovanna Balogh
Fernanda amamenta a filha Helena (Foto: Arquivo pessoal)
Fernanda amamenta a filha Helena (Foto: Arquivo pessoal)

A decoradora Fernanda Seára, 35, diz ter sido constrangida ao amamentar a filha Helena, 11 meses, no espaço família – lugar voltado para alimentar e  trocar fraldas de bebês  –  de um shopping em Blumenau, em Santa Catarina.

A mãe conta que entrou no espaço na tarde do domingo (22) com o marido Marcelo e a filha. “Fui amamenta-la na salinha de amamentação. Só estávamos nós três lá e o meu marido sentou na minha frente no pufe que fica em frente à poltrona para as mães colocarem os pés”, comenta Fernanda.

De acordo com ela, pouco tempo depois chegaram outras duas mulheres com seus bebês na sala de amamentação. As duas mães, ainda segundo Fernanda, começaram a servir mamadeiras para seus bebês normalmente.

“Logo depois entrou uma funcionária do shopping e mandou  o Marcelo se retirar e esperar do lado de fora do espaço família. Sem muita reação, ele saiu. Mas, a minha filha começou a gritar desesperada pelo pai e não quis mais mamar. Tive que sair e ir amamenta-la em uma cafeteria na praça de alimentação”, comenta.

Fernanda e o marido  contam que ficaram muito constrangidos com a situação pois consideram que o espaço é para a família e não somente para as mães. “E qual constrangimento teriam as outras mães da presença dele se estavam dando mamadeiras e não amamentando?”, questiona.  Fernanda diz que não viu as outras mulheres reclamarem da presença do seu marido no espaço.

A mãe de Helena comenta que na porta da sala de amamentação tem a figura de um pai, de uma mãe e um bebê no colo. “Fico pensando se fosse um pai dando mamadeira para seu filho, ou um casal homoafetivo. Iam pedir para eles saírem também? Eles não teriam direito de alimentar seu bebê lá?”, questiona.

O casal registrou uma reclamação formal no Shopping Park Europeu e, segundo a mãe, até agora não teve um retorno do centro comercial sobre o ocorrido. Em Santa Catarina vigora uma lei desde o ano passado que garante o direito às mães de amamentarem seus bebês em qualquer estabelecimento.

A lei pune com multa estabelecimentos comerciais que restrinjam ou censurem mães de amamentar em público em todo o Estado. De acordo com o texto, após advertência, comerciantes serão multados em R$ 2.000 por ocorrência. Em caso de reincidência, a multa será dobrada até atingir o valor de R$ 40 mil.

O caso foi divulgado nas redes sociais e mulheres planejam fazer um mamaço (amamentação coletiva) na porta do shopping no próximo domingo (1) à tarde.

OUTRO LADO

Procurado pelo Maternar, o shopping informou, por meio de uma nota, que o espaço família é um local disponível para o bem-estar e o conforto de bebês e seus familiares. “No caso citado, o pai aguardava a mãe que estava amamentando, quando outras duas mães foram ao local alimentar seus filhos. Como elas não se sentiram confortáveis com a situação, solicitaram para a atendente que o pai aguardasse do lado de fora. No momento seguinte, o casal não concordou com o pedido, o que gerou um mal entendido entre os clientes”, diz a nota.

O shopping diz que para “amenizar a situação e priorizar o bem-estar dos bebês o Shopping Park Europeu interviu, sem a intenção de proibir a entrada de qualquer familiar no espaço, apenas usando o bom senso para que todas as mães pudessem cuidar de seus filhos da melhor maneira”, relata.