Hospital terá mamaço após criticar amamentação em livre demanda

Por Giovanna Balogh

Um mamaço (amamentação coletiva) vai acontecer neste sábado (7), a partir das 10h, no Hospital Albert  Einstein, em São Paulo.

O protesto pacífico foi marcado por conta de uma publicação feita no fim de semana passado na página do Facebook do hospital. No post, havia uma mensagem onde desaconselhava a mãe a amamentar o bebê sempre que ele chora. A recomendação, que foi deletada após críticas, ainda orientava a não dar colo quando o bebê acorda durante a madrugada  e ainda não deixá-lo dormir no quarto dos pais.

Todas essas “recomendações”, conforme mostrou o Maternar, foram dadas mostrando que se forem feitas são “atitudes que podem virar manias difíceis de reverter.” “Amamentar sempre que a criança chora pode confundir o bebê, pois ele passa a entender a amamentação não como alimentação, mas como carinho. Lembre-se também de que, com o passar dos meses, o bebê vai crescer e ficará difícil niná-lo no colo. Desde cedo ele deve aprender que a melhor maneira de pegar no sono é quietinho, na cama”, dizia o texto que acompanhava as “dicas” da maternidade.

Post publicado na rede social do hospital e que foi removido (Foto: reprodução)
Post publicado na rede social do hospital e que foi removido (Foto: reprodução)

A amamentação em livre demanda (sempre que o bebê quer) é, inclusive, recomendada pelo Ministério da Saúde e pela OMS (Organização Mundial da Saúde) pois é muito importante para o aleitamento materno de sucesso. Mães que não praticam a amamentação em livre demanda normalmente recorrem a bicos artificiais, como chupetas e mamadeiras, o que ajuda a facilitar o desmame precoce.

A organizadora do mamaço, Reila Miranda, 35, diz que a direção do hospital entrou em contato e lamentou o ocorrido. Segundo ela, o hospital se prontificou a “acolher o mamaço”, que será feito dentro da unidade de saúde.

Segundo Reila, as mães vão amamentar seus bebês e depois será lida uma carta com os posicionamentos das mães. Em seguida, o hospital poderá se pronunciar.

OUTRO LADO

Procurada, a assessoria de imprensa do  hospital informou que o hospital  “incentiva o aleitamento materno e segue as recomendações da Organização Mundial da Saúde, sendo certificado pelo International Board Certified Lactation Consultant (IBCLC).”

Por meio de uma nota, o hospital informou que lamentava a maneira que o tema foi abordado, mas que a “intenção de alertar os pais em relação aos hábitos de sono e que o choro nem sempre representa fome. Reiteramos nosso compromisso com a valorização da amamentação, do afeto e do vínculo familiar.”