Maioria das brasileiras acha natural amamentar em público, diz pesquisa

Por FABIANA FUTEMA
X

O que você pensaria se visse uma mãe amamentando em público uma criança de 2 anos? Saiba que a resposta pode variar de acordo com o país de origem da mulher, segundo pesquisa realizada pela Lansinoh.

De acordo com o levantamento, 44% das mulheres brasileiras avaliaram como fantástica a cena da mãe amamentando em público seu bebezão. Na Turquia, esse percentual subiu para 46%.

Em novembro de 2013, um grupo de mulheres fez um mamaço no Sesc Belenzinho para defender a amamentação em público.

Mas não são todas as mulheres que aprovam a cena. Na Alemanha e  Reino Unido,  só 12% das mulheres também acharam fantástica a mesma situação.

No lado oposto, entre as mulheres que disseram que a mãe não deve amamentar em público um filho de dois anos, os maiores percentuais foram verificados na Hungria (6%) e França (5%).

A pesquisa da Lansinoh foi realizada em 2014 com 13 mil mulheres de nove países. No Brasil, foram entrevistadas 2.000 pessoas.

O percentual de mulheres que respondeu que o bebê era velho demais para ser amamentado em público foi elevado na Alemanha (58%), México (57%) e Reino Unido (50%).

À VONTADE

O levantamento mostrou que as mães brasileiras estão entre as que se sentem mais à vontade com a amamentação em público. Para 55% das entrevistadas brasileiras, amamentar em público é perfeitamente natural.

Esse percentual só é menor que o verificado no Reino Unido (63%) e Estados Unidos (57%).

Entre aquelas que acham a situação constrangedora, o maior percentual foi verificado entre as mulheres britânicas (41%).

Uma curiosidade: a maioria das mulheres entrevistadas respondeu que amamentar é o melhor para a saúde do bebê. O país com o maior percentual de respostas negativas foi a França (19%).

Entre as mulheres de oito dos nove países em que a pesquisa foi aplicada, a maioria se sentiria culpada se não amamentasse. A exceção foi a Alemanha, onde 61% disseram que não sentiriam culpa se não conseguissem.

Acordar a noite para amamentar está entre as três principais dificuldades apontadas pelas entrevistadas. Este é um problema para 44% das brasileiras, enquanto a dor associada com a amamentação foi destacada por 47% delas.

A maioria das mães em todos os países extrai ou planeja extrair seu próprio leite. No Brasil, essa afirmação foi dada por 71% das mães entrevistadas. O país com a menor taxa de lactantes que extraem ou planejam extrair leite é a França (65%), e o com a taxa mais alta é a China (85%).

PESQUISA

A pesquisa foi aplicada no Brasil, China, França, Alemanha, Hungria, México, Turquia, Reino Unido e Estados Unidos.

As mulheres entrevistadas tinham de 18 a 40 anos e estavam grávidas ou eram mães de crianças de até 2 anos de idade.