Com campanha, mulheres mostram que é possível sair ‘duquesa’ da maternidade

Por FABIANA FUTEMA
X

A teoria da conspiração criada em torno do parto da duquesa Kate Middleton, mulher do príncipe William, irritou muitas mulheres. Reportagem de um jornal russo questionou a veracidade do parto. Entre os argumentos usados para denunciar a suposta fraude estava a ótima aparência de Kate ao deixar o hospital apenas dez horas depois de dar à luz uma menina.

Para mostrar que ninguém precisa ficar feia, descabelada, pálida ou com olheiras depois de parir, um grupo de mulheres aderiu à campanha “somostodasduquesas e #divandoposparto.

Neste grupo, as mulheres postam suas fotos logo depois do parto. “Vamos bombar este Facebook com fotos de nós mesmas, meras mortais, mulheres de todas as formas, cores e tamanhos, para mostrar a esta sociedade machista, que insiste em nos inferiorizar”, diz o texto de abertura do grupo.

Entre as participantes do grupo está a obstetra Quésia Tamara Vilamil, que postou a foto de seu primeiro parto, da bebê Esther, que teve anencefalia e morreu 40 minutos depois de nascer. “Depois deste parto tive mais dois normais. Depois dos meus partos eu tomo banho, uso maquiagem e faço fotos”, diz Quésia.

No parto do terceiro filho, Estevão, Quésia diz que deixou o hospital 24 horas após parir. No primeiro, ela deixou o hospital no mesmo dia para ir ao enterro da filha. “O que aconteceu comigo de ter alta no mesmo dia é incomum no Brasil e só aconteceu porque pedi para ir ao enterro.”

No entanto, ela diz que outras mulheres também poderiam ter alta no mesmo dia do parto. “Mas muitas pacientes minhas teriam condições de alta no mesmo dia, como a Kate”, afirma. “A maioria das mulheres que tem parto normal se sente normal depois do parto, principalmente se não tem cortes nem anestesia.”

A paulistana Patricia Santucci Alveia também aderiu à campanha “somostodasduquesa. Ela teve seu segundo parto normal, da menina Júlia, em 2014. Na segunda vez, ela buscou um parto com menos intervenções cirúrgicas e mais humanizado. “Meu parto durou cerca de 11h, tive acompanhamento de uma doula e uma obstetriz em casa até que chegasse o momento de ir para o hospital. Foi um trabalho de parto muitíssimo tranquilo, pois eu estava tranquila. No hospital a minha obstetra se juntou à equipe e eu pude parir de cócoras, sem nenhuma intervenção pois tudo caminhou para um parto natural.”

Como Kate, Patricia diz que pariu uma hora depois de chegar ao hospital e já se sentia disposta. “Assim que minha filha nasceu eu já me sentia muito bem, queria levantar e sair andando pelo quarto, mas minha médica pediu para eu ter calma e curtir minha filha. Seis horas depois eu já estava de banho tomado esperando linhas visitas no quarto!”

Na opinião dela, a surpresa das pessoas com a alta a jato de Kate tem relação com o fato do Brasil registrar taxas altíssimas de cesárea. “Acho que em um país onde a maioria dos partos são cesáreas e a recuperação é um pouco lenta, as pessoas se espantam um pouco de ver alguém estar tão bem recém-parida, ainda mais tendo alta médica tão rápido!”

E você, também achou absurda a teoria da conspiração? Ou acha que Kate estava bem demais para alguém recém-parida?

Kate na saída da maternidade do primeiro filho, em 2013 (à esq.), e na alta da segunda, no sábado (Fotos: Associated Press)
Kate na saída da maternidade do primeiro filho, em 2013 (à esq.), e na alta da segunda, no sábado (Fotos: Associated Press)