SP deve fazer como a Califórnia e impedir crianças não-vacinadas de frequentar a escola?

Por FABIANA FUTEMA
Agente de saúde vacina criança em posto de saúde (Rivaldo Gomes -25.nov.2011/Folhapress)
Agente de saúde vacina criança em posto de saúde (Rivaldo Gomes -25.nov.2011/Folhapres)

O Estado da Califórnia acaba de sancionar uma lei que impede as famílias de usarem suas crenças pessoais ou religiosas para não vacinar seus filhos. Pela nova lei, as crianças não vacinadas ficarão proibidas de serem matriculadas em escolas ou creches públicas e privadas.

A lei foi aprovada após o recente surto de sarampo registrado na Califórnia no início do ano, quando 99 pessoas contraíram a doença.

Além das crenças religiosas, muitas famílias foram influenciadas por uma tese, já desmentida, de que a vacina contra sarampo causaria autismo. Depois de comprovada a fraude, o médico que fez esse vínculo perdeu seu registro. Vários outros estudos reafirmaram que a vacina contra sarampo não causa autismo.

E aqui em São Paulo? Aqui, as escolas costumam pedir cópia da carteira de vacinação das crianças antes de fazer a matrícula. Mas duvido que alguma criança seja impedida de ser matriculada por não estar com a carteirinha em dia.

Neste ano, a campanha de vacinação contra a gripe chegou a ser prorrogada devido à baixa adesão da população.