Abaixo-assinado pede liberação de doulas em maternidades do Rio

Por FABIANA FUTEMA
Morgana pedirá ao secretário que libere as doulas nas maternidades (Acervo pessoal/Amanda Alexandre Fotografia)
Morgana pedirá ao secretário que libere as doulas nas maternidades (Acervo pessoal/Amanda Alexandre Fotografia)

Após duas experiências totalmente diferentes de partos, a gestora cultural Morgana Eneile, 35, passou a defender a presença de doulas em maternidades. No primeiro, Morgana passou por uma cesárea e só conseguiu ver seu filho no dia seguinte ao nascimento.

Frustrada com a experiência, Morgana pediu a ajuda de uma doula para confortá-la no segundo, que nasceu de parto normal hospitalar.

Mesmo ficando 21 horas em trabalho de parto, Morgana diz que se sentiu a pessoa mais poderosa do mundo. Nesse período, a doula ajudou com massagens nas costas para aliviar as dores, além de dar suporte emocional.

Para defender que todas as mulheres tenham a mesma oportunidade que ela, Morgana se encontrará com o secretário municipal de Saúde do Rio, Daniel Soranz, nesta terça-feira.

No encontro, ela pedirá que a cidade libere a presença das doulas nas maternidades, já que é uma medida que não representa custos para o município.

Ao mesmo tempo, Morgana organiza um abaixo-assinado na internet pedindo a liberação das doulas.

Segundo ela a maternidade Maria Amélia é a única do Rio já permite a entrada das doulas e por isso tem melhores indicadores de parto normal.