Queda de prédio causou internação de 567 crianças, diz ONG; saiba como evitar

Por FABIANA FUTEMA
Mãe com filha pequena coloca rede para proteger janela (Luana Fischer -20.nov.2000/Folha Imagem)
Mãe com filha pequena coloca rede para proteger janela (Luana Fischer -20.nov.2000/Folha Imagem)

O menino Gustavo Souza Storto, de 5 anos, morreu nesta quinta-feira após cair do 26º andar do prédio em que morava com a mãe em Taboão da Serra, na Grande SP. Apesar de chocante,  quedas de crianças de apartamentos não são raras.

Levantamento da ONG Criança Segura junto ao Datasus, sistema de dados do Ministério da Saúde indica que acidentes com crianças de até 14 anos causaram a internação de 122 mil crianças em 2014. Desse total, 567 referem-se a quedas de edifícios.

“Isso é muito grave, ainda mais se levarmos em conta que a maioria dessas quedas deve causar morte”, diz a coordenadora-nacional da ONG, Gabriela Guida de Freitas.

Segundo ela, a ONG ainda não tem os dados de mortes causadas por quedas de prédios de 2014. Em 2013, foram registradas 34 mortes por esse motivo.

COMO EVITAR

Gabriela diz que as medidas que os pais precisam tomar para evitar queda de prédios são muito simples.

O primeiro deles é proteger todas as janelas da casa. “É preciso ter rede de proteção em todas as janelas. Criança não reconhece o perigo, ainda está se desenvolvendo. Não basta dizer a ela para não fazer  ou não chegar perto”, afirma Gabriela.

A segunda dica está relacionada ao monitoramento da criança. “Uma criança de 5 anos não deve ficar sozinha. Nenhuma criança, principalmente se  a casa oferecer riscos, como janelas sem proteção, acesso a objetos cortantes e escadas, por exemplo”, diz a coordenadora da ONG Criança Segura.

Segundo ela, não há uma idade mínima que pode ser considerada segura para uma criança ficar sozinha. “Cada uma tem diferentes estágios de desenvolvimento. Por segurança, é melhor que ela esteja sempre monitorada.”

Segundo ela, essas medidas já oferecem segurança para a criança. “Isso é que é triste. É muito fácil de evitar. Não precisaria ter ocorrido. Uma rede teria evitado.”

Em depoimento à polícia, a mãe disse que deixou Gustavo dormindo sozinho em casa para ir buscar o namorado perto da estação de trem do Morumbi.

Ao voltar, segundo ela,  encontrou a porta do banheiro aberta e duas cadeiras colocadas ao lado da janela. O caso ainda está sob investigação.