Conectada com a natureza, grávida faz ensaio fotográfico em cachoeira

Por FABIANA FUTEMA
Danielly e Santi buscam recursos para financiar o parto de Cecília (Caroline Pommerehn Fotografias)
Danielly e Santi buscam recursos para financiar o parto de Cecília (Caroline Pommerehn Fotografias)

Grávida de 39 semanas, a professora Danielly Silva de Deus, 24,  escolheu uma cachoeira que fica perto de sua casa, em Garopaba (SC) como cenário do seu ensaio fotográfico de gestante. Ela diz que o ensaio foi feito em lugares que tinham significado para ela e seu companheiro.

“Essa cachoeira fica nos fundos da nossa atual casa. Já faz um pouco mais de 1 ano que saímos de Porto Alegre e viemos morar aqui [Garopaba]. Nos banhamos nela todos os dias. É um lugar mágico, onde temos o privilégio de poder estar todos os dias e que nos conecta muito com a mãe natureza e o sagrado”, diz Danielly.

Nessa mesma cachoeira, Danielly espera que a filha Cecília também tome muitos banhos. “Passei minha gestação inteira me banhando nela. Com certeza, Cecília vai tomar muitos banhos aqui também.”

A professora se disse surpresa com a repercussão que seu ensaio fotográfico teve. “Fizemos o ensaio para ser uma lembrança nossa desse momento, mas quando vi que já estava se espalhando pelas redes fiquei impressionada. As fotos chamam atenção porque têm essência, transmitem todo esse amor que estamos sentindo e a nossa busca por harmonia com a Terra. Afinal, ter vindo para cá foi um passo grande na busca do que acreditamos. E estar aqui fez com que decidíssemos ter um filho.”

PARTO DOMICILIAR

Danielly e o companheiro Shanti planejam ter um parto domiciliar. Para conseguir dinheiro para os gastos do parto, o casal criou um site de arrecadação.

“Iniciamos a campanha, pois precisamos levantar esse valor para pagar a equipe de parteiras e doulas. Caso o projeto não cubra todo o valor, buscaremos outros meios de pagar”, diz ela. “Estamos no aguardo, pois Cecília pode chegar a qualquer momento, quando sentir que está pronta.”

Segundo ela, a decisão de ter um parto domiciliar está atrelada ao projeto do casal de ficar mais próximo do que é natural.

“ A gente sonha em levar uma vida muito mais consciente em todos os sentidos. Não fazemos coisas nas quais não acreditamos só porque é o comum. Assim é a decisão de sermos vegetarianos, de termos vindo para um lugar na natureza e assim pretendemos que será o parto da nossa filha.”

Danielly diz que o acompanhamento mostrou que a gestação evoluiu muito bem até agora. Mas que se houver necessidade de intervenção médica, ela será feita. “Pesquisamos muito, lemos muito e decidimos que gostaríamos muito de ter um parto domiciliar. […] Permite que eu, como mulher, participe ativamente e resgate a minha ancestralidade e minha sabedoria feminina, assim como também Cecília terá a oportunidade de nascer com tranquilidade e naturalidade. “

X