Aprenda com famosos e especialistas a montar uma lancheira saudável

Por FABIANA FUTEMA
Lancheira montada ´pr Bela Gil tem melancia, pão caseiro e amêndoas torradas (Crédito: Insagram/belagil)
Lancheira montada ´pr Bela Gil tem melancia, pão caseiro e amêndoas torradas (Crédito: Insagram/belagil)

Muitos colégios só retomaram as aulas nesta segunda-feira. Com a volta à escola, recomeça o dilema dos pais sobre o que colocar na lancheira do filho.

O desafio é enviar alimentos saudáveis para a merenda, mas que sejam atrativos para o paladar das crianças.

A apresentadora e chef de cozinha Bela Gil publicou nesta terça em seu perfil no Instagram a foto da lancheira da filha. O lanche é composto de duas marmitinhas: uma com melancia e outra com pão caseiro e amêndoas torradas.

Bela chegou a causar polêmica no ano passado quando publicou outra foto da lancheira da filha. Na ocasião, a merenda era composta por granola caseira, batata doce, banana da terra e água.

Apesar dos pais que torcem o nariz para esse tipo de combinação, é preciso buscar um equilíbrio de alimentos na hora de montar a lancheira.

A educadora Fabiolla Duarte, criadora do Colher de Pau, diz que a lancheira saudável precisa ser simples. “Mas não vai dar certo se em casa a alimentação não for saudável. A lancheira é só uma continuação da mesa familiar.”

Fabiolla sugere que os pais incluam frutas secas e frescas, castanhas e sementes cruas e torradas na lancheira. Outra dica é colocar pepinos ou cenouras cruas ou cozidas, em palitos, na lancheira. Para os que toleram laticínios, um pedaço de queijo curado é uma boa fonte de proteína e boa gordura, e por ser curado, tem sua lactose bem diminuída, por isso fica mais fácil de digerir.

Pães de queijo caseiros, feitos com bons ingredientes (manteiga, ovos, queijo de boa qualidade) e recheados com patê à base de tahine ou pasta de amendoim (pode-se bater no liquidificador o tahine ou pasta de amendoim com temperos frescos como coentro ou salsinha, limão, sal, um pouquinho de água e azeite) são muito gostosos e muito nutritivos.

Para beber água, ela sugere água de coco ou algum suco natural, feito em casa. Ajuda muito ter uma garrafinha termica ou de inox para armazenar os sucos. Mas Fabiolla gosta mesmo é de colocar água. Ela acredita ser importante criar o hábito de matar a sede com água. Sucos deveriam ser bebidas ocasionais.

Caso a criança queira bolos, importante fazer com bons ingredientes, e tentar usar farinhas à base castanhas ou coco, ao invés de trigo ou arroz. Dessa forma se otimiza a nutrição. “É possível usar biomassa de banana, açúcar mascavo ou rapadura, ou até apenas frutas secas para adoçar o bolo. O segredo é escolher bons ingredientes e sempre densamente nutritivos. ”

Como fermento para o bolo, pode-se usar bicarbonato de sódio e vinagre ao invés de fermento químico. “Fermentos químicos são trangênicos. Dá até para fazer uma cobertura gostosa e nutritiva, se ao invés de leite condensado, usar leite de coco caseiro ou de castanhas, reduzido com açúcar mascavo, ou fazer uma cobertura uma barra de cacau orgânico em banho maria.”

“Em suma, a ideia é otimizar a nutrição a cada mordida da criança. E nunca deixar de lado o prazer da criança de comer e de compartilhar com os amigos o lanche que está levando”, diz Fabiolla.

A apresentadora Rita Lobo, autora de seis livros de culinária criadora do site e da editora Panelinha, também nos ajudam a ter dicas para variar os sabores da lancheira. Ela publicou em seu perfil no Instagram uma foto com chipa, polvilho e tapioca e bolo de banana como sugestões para a lancheira.

Em seu blog, ela dá uma dica legal para conservar o suco natural: congelar em cubos. “Até a hora do lanche, eles vão se manter fresquinhos”, escreve ela.

Rita Lobo sugeriu chipas, polvilho, tapioca e bolo para a lancheira (Instagram/ritalobo)
Rita Lobo sugeriu chipas, polvilho, tapioca e bolo para a lancheira (Instagram/ritalobo)

ALIMENTOS DE TODOS OS GRUPOS

O pediatra nutrólogo Mauro Fisberg, coordenador do Centro de Dificuldades Alimentares do Instituto Pensi do Hospital Infantil Sabará, diz que a lancheira deve possuir uma quantidade controlada de açúcar,

“O segredo é variar e sempre consumir alimentos de todos os grupos alimentares nas diferentes refeições, como pães, massas, frutas, legumes, carnes, leguminosas, óleos e açúcares em moderação”, afirma. “Esses alimentos irão nos entregar nutrientes importantes como carboidratos, proteínas, gorduras boas, vitaminas e minerais.”

Segundo ele, a lancheira deve combinar “sabor, nutrientes, praticidade, custos e alimentos adequados ao horário e para manter a energia durante o período escolar ou para o horário de intervalo”,

“Além dos alimentos, é essencial nos atentarmos também ao tipo de bebidas que consumimos, devendo priorizar a hidratação, com água, bebidas nutritivas, como os sucos de frutas naturais, água de coco ou bebidas à base de soja. Estas oferecem uma combinação de proteínas, minerais e vitaminas importantes para o sistema imunológico e desenvolvimento da criança”, diz.