Casa do Brincar inaugura loja virtual e amplia área de atuação

Por FABIANA FUTEMA
Menino brinca com latofone (Foto: Divulgação)
Menino brinca com latofone (Foto: Divulgação)

Inaugurada há 6 anos, a Casa do Brincar decidiu ampliar sua área de atuação. Localizada em Pinheiros, zona oeste de São Paulo, a empresa acaba de abrir uma loja virtual de produtos infantis.

Além de brinquedos educativos, livros e CDs, a lojinha da Casa do Brincar oferece produtos que também encantam os adultos.

Luciane Motta, fundadora da Casa do Brincar, diz que os produtos da lojinha são pensados de acordo com princípios que têm o brincar saudável como eixo principal.

“Tudo o que é colocado à venda é selecionado com muito cuidado e rigor. Não há nada que eu não gostaria que minhas próprias filhas vissem e experimentassem”, afirma.

Segundo ela, esse trabalho de seleção de produtos não é tarefa simples. “Não trazemos nada com apelo comercial, nada que seja licenciado. E evitamos brinquedos rosa para não reforçar estereótipos de gênero.”

Mas não é de agora que a Casa do Brincar busca diversificar seus negócios. O local funciona de segunda a sexta-feira com brincadeiras e oficinas para crianças. Nos fins de semana, as oficinas param e o empreendimento, de 400 m2, pode ser usado para abrigar festas infantis.

“Se a família quiser trazer seu próprio buffet, tudo bem. Se precisar de indicação de comidinha saudável, eu faço. Tive um pai que quis cozinhar para o filho na festa. Foi muito legal”, diz Luciane.

A empresária também fecha parcerias com empresas, prefeituras e entidades, como o Sesc, para organizar brincadeiras e oficinas.

“Antigamente, as empresas faziam festa para os funcionários e traziam palhaço, mágico e escultura de balão para entreter as crianças. Agora, perceberam que brincar pode ser mais que isso”, afirma a empresária.

Depois de receber inúmeros pedidos para abrir franquias, Luciane decidiu prestar consultoria para interessados em abrir casas de atividades infantis. “Não dá para abrir franquia, pois trabalhamos apenas com conceitos em que acreditamos. Não aceitamos patrocínio por exemplo. E não dá para ter certeza que o franquiado vai seguir a mesma filosofia.”

Já o modelo de consultoria permite que a Casa do Brincar ajude empreendedores a entender o funcionamento do negócio, da legislação e estude o mercado em que atuará. “O preço da hora/atividade daqui pode não ser o mesmo de São Paulo”, diz ela.

E a crise afeta empresas como a Casa do Brincar? Luciane diz que sentiu uma queda no número de crianças que frequentam o local em fevereiro. “Além da crise, isso pode refletir o início das aulas, quando as crianças ainda estão e adaptando a uma nova rotina.”

BRINCAR WEEK

Você quer muito conhecer a Casa do Brincar, mas não tem dinheiro? A Brincar Week pode ser sua chance de levar o filho para conhecer as 11 maiores casas de atividades infantis de São Paulo.

Durante a Brincar Week, a hora/atividade será de R$ 25. Fora da promoção, as casas cobram até R$ 55 por hora de brincadeira.

“É uma chance de trazer um público novo para o local com preço mais acessível”, diz Luciane.

A expectativa, segundo ela, é que esse novo público descubra que brincar lá pode ser mais barato do que se imagina. “A hora sozinha tem um preço. Mas temos pacotes  que reduzem muito esse valor.”

A Brincar Week acontece de 7 a 12 de março.