Vacinação contra a gripe será antecipada para crianças, idosos e gestantes na capital e Grande SP

Por FABIANA FUTEMA

 

Criança toma vacina em posto de saúde de SP (Foto: Rivaldo Gomes -25.abr.2011/Folhapress)
Criança toma vacina em posto de saúde de SP (Foto: Rivaldo Gomes -25.abr.2011/Folhapress)

A vacinação contra a gripe no Estado de São Paulo será antecipada para o dia 11 de abril. A campanha nacional deve começar só a partir do dia 30 de abril.

A antecipação acontece em meio a um surto da gripe A (H1N1), que tem lotado hospitais e causado temor na população.

Mas a antecipação não valerá para todos as cidades do Estado nem para todo o público-alvo da campanha. A vacina chegará antes para as crianças menores de cinco anos, gestantes e idosos da capital e Grande São Paulo.

Para as demais cidades do Estado e outros públicos-alvo (doentes crônicos, puérperas, indígenas, funcionários do sistema prisional e a população privada de liberdade), a vacinação será liberada só a partir do dia 30 de abril.

Os profissionais de saúde de hospitais públicos e privados da capital e região metropolitana já começam a ser vacinados no começo da próxima semana.

“Essa antecipação é muito importante já que, no caso dos profissionais de saúde, eles terão contato direto com um grande número de pessoas que podem estar com o vírus e precisam estar protegidos, até para continuar cuidando dos pacientes”, afirma o secretário de Estado da Saúde de São Paulo, David Uip.

O Ministério da Saúde informa que inicia o envio  da vacina contra a influenza de 2016 a partir do dia 1° de abril. A entrega aos municípios, por sua vez, é responsabilidade de cada Estado.

Nas três primeiras remessas (1º a 15 de abril), os Estados receberão 25,6 milhões de doses, que corresponde a 48% do total a ser enviado para a campanha deste ano.
Segundo a pasta, o cronograma de distribuição aos Estados é elaborado de acordo com a entrega da vacina pelo laboratório produtor.

CASOS

De acordo com o Ministério da Saúde, foram registrados neste ano, até 19 de março, 305 casos de SRAG por influenza A(H1N1) em todo o Brasil, sendo 46 óbitos e um caso de óbito importado (o vírus foi contraído em outro país).

A região Sudeste concentra o maior número de casos (266), sendo 260 no Estado de São Paulo.

Com relação ao número de óbitos, São Paulo registrou 38, seguido por Bahia e Minas Gerais, cada um com dois óbitos; e de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Ceará, com um óbito cada.

X