Com manual sobre a péssima mãe, nutricionista ironiza estilo de vida de ‘mamis’ nas redes sociais

Por FABIANA FUTEMA
Maria Alice e o filho Léo, de 6 anos (Foto Arquivo Pessoal)
Maria Alice e o filho Léo, de 6 anos (Foto Arquivo Pessoal)

Você é uma boa mãe? A nutricionista e publicitária Maria Alice Raya, 39, causou polêmica nas redes sociais ao publicar uma espécie de manifesto sobre a péssima mãe.

“Se você é mãe e quiser acabar com sua paz, tenho uma dica: faça parte de grupos de mães no Facebook. Juro, eu saí de todos, minutos antes de ligar o gás e enfiar minha cabeça no forno”, escreveu ela em postagem que teve mais de 12 mil curtidas e 6.700 compartilhamentos.

Ela ironiza desde a forma como as mães se tratam em alguns grupos, como “mom, mamy, mamis, mamãe”, até o estilo de vida que algumas mulheres alardeiam nas redes sociais.

“Você verá mil fotos de mesas de festas de crianças que foram feitas pelas próprias mamis e ficaram muito mais bonitas do que a mesa que você contratou na “Mesas de Isopor da Tia Dulce” porque era a única que cabia no seu bolso e que entregava de última hora. Ah, vai descobrir que uma festa infantil começa a ser organizada 8 meses antes. Nem meu casamento foi planejado com tanto tempo. Sou péssima mãe, não é possível!”, escreveu.

Procurada pelo Maternar, Maria Alice diz que seu post é uma sátira para rir de situações que ela mesmo já vivenciou.

“Sou nutricionista, também já fiz bolinho funcional para meu filho. Escrevi pensando em libertar algumas mães das exigências que esses grupos colocam de que tem que fazer isso para ser uma mãe super legal, mas  também para rir de si mesma e mostrar que às vezes a gente exagera”, disse.

Para ela, esses grupos geram angústia por mostrar um mundo em que sempre há muita coisa para fazer e você será a pior mãe do mundo por não dar conta dessas tarefas.

Maria Alice diz que já faz uns bons anos que não participa de nenhum grupo materno nas redes sociais. “Não me encaixo nos grupos.”

Sobre eventuais críticas por seu manifesto, ela afirma que ninguém falou diretamente com ela ainda sobre isso. “Mas entendo o lado delas [moderadoras de grupo que a criticaram]. Cada um é cada um e leva sua vida de mãe como quiser.”

Por fim, Maria Alice diz que não pretendia agredir ninguém com suas palavras. “É uma mistura de verdades com ironias. Certas coisas, como o smash the cake, sempre fui contra. E nunca me senti insegura por não fazer certas coisas. […] Não queria que ninguém ficasse ofendida, é uma piada.”

Leia abaixo a íntegra do post da nutricionista:

“Sobre ser uma péssima mãe:

Se você é mãe e quiser acabar com sua paz, tenho uma dica: faça parte de grupos de mães no Facebook. Juro, eu saí de todos, minutos antes de ligar o gás e enfiar minha cabeça no forno.

Pra começar, lá você será chamada de mom, mamy, mamis, mamãe… Gente, eu já passo o dia ouvindo “mãaaaae”, não dou conta.

Lá, você vai descobrir a porcaria de mãe que você é. Se você não mandou fazer etiquetas personalizadas no site “Etiquetas Chiques Moms”, você será considerada um E.T. e seu filho voltará pelado da escola. Vai perder tudo, uniforme, lancheira, lápis, cabeça…

Lá, você verá mil fotos de mesas de festas de crianças que foram feitas pelas próprias mamis e ficaram muito mais bonitas do que a mesa que você contratou na “Mesas de Isopor da Tia Dulce” porque era a única que cabia no seu bolso e que entregava de última hora. Ah, vai descobrir que uma festa infantil começa a ser organizada 8 meses antes. Nem meu casamento foi planejado com tanto tempo. Sou péssima mãe, não é possível!

Lá, você vai descobrir que existe uma bolsa/mochila específica para cada idade do bebê/criança. Aquela sacola que veio junto com a kit bebê da maternidade é uma vergonha de se usar. Se você encontrar por acaso com uma integrante do grupo no Shopping, esconda a bolsa no fundo do carrinho. Ah, tem encontro de mães também, porque né? Não tem assunto melhor pra se falar naquele momento relax que você sai de casa pra respirar. Ainda mais quando, no encontro, te falam que deixar o bebê dormindo de barriga para baixo é morte na certa. Aí você inventa uma diarreia súbita e sai correndo salvar seu filho que está prestes a morrer.

Lá, tratam Parto normal e Cesária como “Fora Dilma” e “Não vai ter golpe”. Essa parte é bem engraçada, às vezes.

Lá, você vai se sentir realmente deprimida quando descobrir que mães fazem bolos integrais, funcionais, com óleo de coco para o lanche da escola dos filhos. Você lembra que mandou bolo de supermercado e simplesmente chora. E quando descobre que o “Suco da Criança Saudável”, pra não citar marcas, é, na verdade, um veneno, uma enganação? Corre pro Pediatra pedindo exames, marcadores tumorais.

Pra mim, o que mais doeu, foi descobrir a culpa de certos problemas que enfrento como mãe. Vocês acreditam que eu não montei um quarto Montessoriano pro meu filho? Nem usei as técnicas do Feng Shui? Gente, a cama dele sempre foi virada pro Oeste e está lá, no grupo, que deve ser virada para o Leste. É por isso que ele demorou pra engatinhar, por isso que ainda confunde um pouco o “O” com o “U”. Tudo culpa minha.

Agora, o pioooooor de tudo, foi não ter feito o ensaio fotográfico “Smash the Cake” com meu filho. Todas as moms fizeram, to-das. Agora ele já tem 6 anos, tipo, um erro sem conserto que terei que carregar comigo, para sempre! Corro ligar o gás.”