Hospitais adotam plano de parto no pré-natal e reduzem cesáreas

Por FABIANA FUTEMA
Sala de pré-parto do Hospital da Luz (Divulgação)
Sala de pré-parto do Hospital da Luz (Divulgação)

Maternidades participantes do projeto parto adequado registraram aumento da taxa de parto normal. Esse é o caso do Hospital da Luz, localizado na zona sul de São Paulo, e do Hospital Pasteur, na zona oeste do Rio.

No Hospital da Luz, os partos normais corresponderam a 46% do total realizado no mês de março. Em 2015, esse tipo de parto representava apenas 24,7% dos partos da instituição. O percentual médio de cesáreas, que era de 75% em 2015, baixou para 65% nos primeiros três meses deste ano.

O Pasteur também vem registrando taxas crescentes de partos normais, passando de 38% em dezembro para 43% em janeiro, e 46% em fevereiro. Esses índices dizem respeito aos partos realizados em mulheres na primeira gestação e grávidas que entraram pela emergência no Pasteur.

Os percentuais estão acima da meta estabelecida pelo projeto parto adequado, que era atingir 40% de partos normais até setembro.

Implementado pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) em parceria com o hospital Albert Einstein e o IHI (Institute for Healthcare Improvement), o projeto tem o objetivo de diminuir os casos de cesáreas consideradas desnecessárias, ou seja, sem indicação médica.

No Brasil, as cesáreas representaram 84,6% dos partos realizados para beneficiários de planos de saúde em 2015. A OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda que os partos cirúrgicos não ultrapassem 15% do total.

Assim que aderiram ao projeto, o Hospital da Luz e o Pasteur lançaram o plano de parto no pré-natal. Trata-se de um programa de cursos e de atendimento às gestantes, no qual especialistas esclarecem todas as dúvidas sobre os diversos tipos de parto e as vantagens do normal.

Além de as pacientes passarem por monitoramento frequente de sua evolução clínica, o Hospital da Luz diz que elas se sentem mais seguras na hora do procedimento obstétrico.

No Pasteur, uma equipe multidisciplinar auxilia as gestantes, munindo-as com informações sobre a evolução de suas condições clínicas.

O projeto parto adequado trabalha com três modelos de atendimento na hora do parto: 1) equipe de plantonistas; 2) enfermeiras obstetras e acompanhante; 3) equipe de médicos que atendem a grávida no pré-natal.

Nesse último modelo, a gestante pode ser atendida por até quatro médicos durante seu pré-natal. Um desses ficaria de sobreaviso para fazer seu parto.