Saiba por que o desejo sexual da mulher cai durante a amamentação

Por FABIANA FUTEMA
Você só quer dormir quando chega a hora de ir para a cama? Entenda motivos (Fotolia)
Você só quer dormir quando chega a hora de ir para a cama? Entenda motivos (Fotolia)

Não se assuste se você perceber que perdeu a vontade de transar logo depois do nascimento do bebê.  As mulheres que amamentam, quase sempre, têm queda do desejo sexual.

Isso acontece porque há um aumento da prolactina, hormônio da produção do leite, que inibe a produção de estrogênio durante o pós-parto e amamentação.

“A queda do nível de estrogênio e a produção de prolactina podem interferir negativamente a libido”, diz o ginecologista Ricardo Bruno, da Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia do Estado de Rio de Janeiro.

Outro problema, segundo ele, é que também há o ressecamento vaginal neste período, o que aumenta a sensação de incômodo durante o ato sexual.

“O estrogênio é responsável por estimular as células da parede vaginal a produzirem o glicogênio, que serve de alimento para os lactobacilos e que mantém o pH da vagina estável e saudável. Com menos estrogênio, a parede vaginal fica mais fina e seca, o que pode levar ao ressecamento. Esse ressecamento vaginal pode causar uma baixa na autoestima, o que afeta o desejo sexual da mulher”, diz Bruno.

Esses sintomas só vão desaparecer, segundo o ginecologista, quando a mulher não estiver mais produzindo leite.

O que fazer até lá? O jeito, diz o médico, é  a mulher conversar com o marido e explicar como se sente. Não adianta querer forçar o sexo sem ter vontade.

“É importante para a mulher compartilhar com o parceiro o problema que afeta tanto ela quanto a relação. Dessa maneira, os dois poderão encontrar juntos uma solução”, afirma Bruno.

Segundo ele, o marido precisa ter muita compreensão sobre esse momento da vida da mulher. “Após o parto, com a falta de estrogênio e o ressecamento vaginal, a última coisa que a mulher pensa é em sexo, ainda mais com um bebê mamando o tempo todo.”

Para a questão do ressecamento, ele sugere o uso de lubrificantes ou hidratantes intravaginais.

“A solução para o ressecamento precisa ser livre de hormônios para não interferir na produção do leite. As opções são o uso de lubrificantes no momento da relação ou de hidratantes intravaginais, que podem ser utilizados em qualquer momento do dia e restauram a lubrificação natural. Os estrógenos locais, tipo promestrieno, também podem ser usados”, diz o ginecologista.

Os médicos também podem ajudar oferecendo soluções que tragam “conforto a esta mulher para que a relação sexual volte a ser prazerosa”.

O ginecologista Ricardo Bruno (Arquivo Pessoal)
O ginecologista Ricardo Bruno (Arquivo Pessoal)