Pediatra alerta para risco de enrolar bebês em ‘charutinhos’ após 28º dia

Por FABIANA FUTEMA
Bebê embrulhadinho (Fotolia)
Bebê embrulhadinho (Fotolia/imagesbyhope)

Muitos pais já conhecem os benefícios de deixar  o bebê enrolado em uma espécie de charutinho feito de cobertor ou manta.  Acredita-se que esse método ajuda a acalmar os bebês, que se sentem mais seguros e aconchegados, pois recria um pouco da contenção exercida pelo útero materno.

Só que os pais não podem recorrer ao charutinho para sempre. A neonatologista do hospital e maternidade Santa Joana, Clery Bernardi Gallacci diz que o método deve ser usado até o bebê completar 28 dias. “Nesses primeiros dias, esse sistema ajuda o bebê a se organizar melhor neurologicamente e isso traz benefícios para a sucção e deglutição”, diz.

Depois desse período, o bebê precisa de liberdade para se movimentar e desenvolver novas funções motoras.  Além disso, segundo Clery, manter o bebê imobilizado pode trazer riscos para sua segurança. “Ele precisa se movimentar para se defender.”

Trabalho publicado na ‘Pediatrics’ faz uma correlação entre o risco de morte súbita com o hábito de enrolar os bebês a partir da análise de quatro estudos.

Segundo o trabalho, o risco de morte súbita é maior para bebês enrolados que dormem de lado ou de barriga para baixo e para os maiores de seis meses, que já se movimentam e podem rolar e mudar de posição. O risco é menor para os que dormem de barriga para cima.

Clery diz que as conclusões reforçam as orientações que os pediatras já dão para seus pacientes.

Ainda não se sabe o que causa a morte súbita dos bebês. Uma das teorias é que seria a combinação de alguns fatores, como anomalia genética, etapa do desenvolvimento e condições externas (como dormir de bruços), exposição ao cigarro e superaquecimento.

“Esse estudo traz informações que merecem ser relembradas. Dormir de barriga para cima é melhor, pois o reflexo do desengasgo funciona melhor”, afirma Clery.

Para as mães que fazem charutinho, a neonatologista recomenda que ele não seja muito duro, apertado. “Se o charutinho ficar muito duro, o bebê pode ficar muito instável no berço. Há várias formas de deixar o bebê contido e próximo da mãe, o método canguru é excelente.”

Para os bebês maiores, a pediatra lembra que também é preciso ter cuidado para evitar o risco de sufocamento. “A manta ou cobertor deve ficar na altura do peito da criança. Não deve haver muitos panos e protetores fofos no berço.”

ENSAIO NEWBORN

A foto que ilustra esse post faz parte daqueles ensaios realizados com recém-nascidos. Fotógrafos que realizam esse tipo de trabalho se informam sobre as formas mais seguras de manusear um bebê.

A ABFRN (Associação Brasileira de Fotógrafos de Recém-Nascidos) diz que o ideal para o álbum newborn é que o bebê seja fotografado entre o 5° e 14º dia de vida, quando os recém-nascidos “são mais maleáveis, apresentam sono profundo e as cólicas ainda não afetam o descanso”.

Leia sobre segurança nesse tipo de fotografia.