Mães estão cansadas, se culpam e estão longe de ser perfeitas, diz pesquisa

Por FABIANA FUTEMA
Ir ao mercado pode não ser tão legal com crianças (Danielle Guenther/danielleguentherphotography.com)
Ir ao mercado pode não ser tão legal com crianças (Danielle Guenther/danielleguentherphotography.com)

As mães brasileiras estão cansadas, se sentem culpadas e distantes do estereótipo da mãe perfeita. Isso é o que revela pesquisa inédita feita pelo Instituto QualiBest e pelo site Mulheres Incríveis com 1.300 mulheres de todas as classes sociais.

Quase 70% das entrevistadas responderam que a vida da mãe brasileira é difícil. Entre as dificuldades da maternidade, 70% citaram a falta de dinheiro para atender as necessidades dos filhos.

Outras 60% responderam que era a falta de tempo para elas mesmas. E 51% disseram que gostariam de ter mais tempo para se dedicar ao trabalho.

A pesquisa também fez uma correlação entre a culpa e as dificuldades que as mães tinham para criar o filho. O resultado mostrou que as mães se culpam pelos mesmos motivos que se preocupam com a criação dos filhos. Exemplo: 55% se sentem culpadas por não poder oferece aquilo que acha que os filhos merecem.

Outras 36% se culpam por perder a paciência com frequência. As mulheres também se culpam pela qualidade do tempo que passam com o filho: não ter paciência para brincar com ele (32%)  ou deixá-los muito tempo com TV, jogos, celular, redes sociais (31%).

“[…] O fato de 30% de mães se sentirem culpadas por deixar os filhos com os eletrônicos mostra que um grupo significativo já se preocupa com eventuais prejuízos advindos do conteúdo da internet e das redes sociais”, diz a pesquisa.

Questionadas sobre o que gostariam caso pudessem realizar um pedido, só 12% disseram que queriam ajuda para cuidar dos filhos. De acordo com a pesquisa, 40% pediriam a ajuda de pessoas com o trabalho doméstico. E a metade gostaria de ter mais paciência para brincar com os filhos.

As mulheres entrevistadas também não se identificam com o ideal de mãe mostrado pela mídia: elas disseram que a imagem de mulher perfeita (49%) ou que está sempre feliz (30%) não as representam.

A pesquisa mostra que as entrevistadas fizeram confissões que consideram embaraçosas, como dar palmadas (33%), deixar os filhos assistir TV ou vídeos para poder descansar (28%) e até mesmo esquecê-los em lojas ou na escola (2%).

No questionário online, questões de múltiplas escolhas, a maioria declarou ter de um a dois filhos (81%).

ENSAIO

A fotógrafa Danielle Guenther fez uma série de imagens com famílias reais ‘representando’ como pode ser caótico o dia-a-dia de pais e mães com filhos pequenos.

Em vez de famílias bonitinhas, limpinhas e sorridentes, a série ‘Melhor Cenário’ mostra pais desesperados com a bagunça dos filhos no restaurante, por exemplo. Em outra foto é possível ver pais exaustos no sofá, enquanto os filhos continuam brincando com a corda toda (são ligados no 220, não?). Veja fotos abaixo.

X