Doação de leite materno salva prematuros e faz bem a mulheres com produção excedente

Por FABIANA FUTEMA
Mulheres com produção excedente de leite podem ajudar a salvar prematuros com doação (Crédito: Elis Freitas Fotografia)
Mulheres com produção excedente de leite podem ajudar a salvar prematuros com doação (Crédito: Elis Freitas Fotografia)

O banco de leite da maternidade Leonor Mendes de Barros, referência no Estado de São Paulo, está com o estoque abaixo do ideal. Isso acontece porque a doação de leite materno costuma cair nas férias e em períodos de frio.

“As doações de leite acabam caindo com o frio, com as férias, pois as pessoas viajam, vão descansar, têm outras incumbências. Costuma ser um período crítico nos bancos de leite, não só aqui”, diz a coordenadora do banco de leite da maternidade, Andrea Penha Spínola Fernandes.

Na maternidade Leonor Mendes de Barros, por exemplo, o estoque de leite é suficiente para apenas 15 dias. “Fica um pouco crítico, pois reduz muito a doação, mas o consumo continua o mesmo. Os bebês continuam sendo alimentados, as dietas continuam sendo dadas”, afirma Andrea.

Segundo ela, a doação de leite materno ajuda não apenas os prematuros internados em UTIs neonatal como as mulheres que tem produção excedente. “Se o leite fica parado na mama pode ocorrer empedramento, ingurgitamento mamário que pode virar uma mastite, que é uma infecção das glândulas mamárias e até um abcesso mamário, que é muito grave.”

Andrea diz que a mulher que produz mais leite do que seu bebê consome não deve jogar fora o excedente. “É muito importante que ela retire e doe para bancos de leite. Os bebês prematuros internados em UTIs precisam muito desse leite.”

O leite materno doado aos bancos de leite é esterilizado antes de ser oferecido aos bebês. Esse leite, segundo Andrea, faz muita diferença na recuperação dos prematuros. “Ele não vai ser só um alimento, vai ajudar o bebê a se recuperar mais rapidamente, reduz os riscos de infecção, é a nutrição mais adequada para o prematuro. O leite humano tem uma substância que ajuda na sua própria digestão.”

A coordenadora diz que as mães dos bebês internados em UTI passam por muito estresse, o que pode reduzir a produção de leite. “Ter um filho internado em uma unidade neonatal não é fácil.”

Para facilitar o processo de doação, os bancos de leite costumam retirar o leite materno na casa das doadoras.

“Já é um grande trabalho dar. A mãe está em casa com um bebê que requer muito dela, tem que cuidar do lar. Temos que facilitar a doação o máximo possível. Por isso os bancos oferecem o material da coleta, como frascos esterilizados, máscaras e luvas”, diz Andrea.

Se você quer doar seu leite entre em contato com um Banco de Leite Humano. Clique aqui e encontre o mais próximo de você.  Existem mais de 50 bancos de leite em todo o Estado de São Paulo.

X