Hospitais de projeto elevam taxa de parto normal e reduzem a de cesárea

Por FABIANA FUTEMA
Doula participa de parto hospitalar (Lella Beltrão/Coletivo Buriti de Fotografia)
Doula participa de parto hospitalar (Lella Beltrão/Coletivo Buriti de Fotografia)

A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) divulgou novo balanço de desempenho dos hospitais participantes do projeto parto adequado. Em maio, a taxa de parto normal nesses hospitais subiu para 37,5% _era 31% em fevereiro. No mesmo período, a taxa de cesáreas caiu para 62,5%.

Apesar da taxa de cesárea nesses hospitais ser maior que a de parto normal, o percentual é bem menor que a média registrada na rede privada _cerca de 80%.

Desenvolvido em parceria com o Hospital Albert Einstein e o IHI (Institute for Healthcare Improvement), o projeto funciona hoje em 34 hospitais públicos e privados.

Para incentivar o parto normal, o projeto propõe mudar a forma de atendimento da mulher em trabalho de parto. Em vez de ser atendida por um obstetra em específico, ela tem a opção de fazer o parto com a equipe de plantão. Outra possibilidade é ela ser atendida por um médico pré-natalista do corpo clínico ou ficar vinculada a uma equipe multidisciplinar.

“Estamos começando um processo duradouro e sustentável de reversão das altíssimas taxas de cesáreas que o país tem apresentado”, afirma a diretora de Desenvolvimento Setorial da ANS, Martha Oliveira.