Dormir no quarto dos pais reduz em 50% morte súbita de bebês, dizem pediatras americanos

Por FABIANA FUTEMA
Bebês devem dormir no quarto dos pais (Fotolia)
Bebês devem dormir no quarto dos pais (Fotolia)

A Academia Americana de Pediatria (AAP) divulgou nesta semana novas recomendações para garantir a segurança dos bebês durante o sono. Para reduzir o risco de morte súbita, a entidade agora recomenda que os bebês durmam no mesmo quarto dos pais até ele completar 1 ano ou, pelo menos, nos primeiros seis meses de vida.

Segundo a AAP, essa prática pode reduzir em até 50% o risco de morte súbita. Essa é a primeira vez, desde 2011, que a academia revisa as recomendações sobre criação de um ambiente seguro para o sono do recém-nascido.

A entidade não dá muitas explicações sobre como dormir no mesmo quarto evitaria os casos de morte súbita. Há pediatras que acreditam que os pais ficam mais alertas em relação ao sono da criança.

A revisão, entretanto, não muda o entendimento da AAP de vetar a prática da cama compartilhada. De acordo com a entidade, os bebês devem dormir em uma cama ou berço diferente da dos pais.

A academia também recomenda a amamentação como fator de proteção contra a morte súbita. Segundo a AAP, a mãe pode amamentar o bebê na própria cama, mas deve colocá-lo em seu berço assim que a mamada terminar.

“Se você cair no sono, assim que acordar, certifique-se de levar o bebê para a cama dele”, diz Lori Feldman-Winter, coautora da recomendação da AAP

De acordo com as recomendações, o bebê deve sempre dormir em uma cama ou berço, nunca em sofá, poltrona ou outro móvel com superfície macia.

A cama ou berço em que o bebê dorme deve ter superfície lisa, lençol ajustado, sem protetores, sem edredons ou pelúcias. A criança deve dormir de barriga para cima. Aquelas almofadinhas em forma de rolo devem ser evitadas _algumas pessoas as chamam de segura-bebê, pois teriam a função de evitar que o bebê se virasse na cama.

“Não deve haver travesseiros, lençóis, cobertores ou outros itens que possam obstruir a respiração da criança ou causar superaquecimento”, afirma Lori.

A academia reforça outras recomendações, como os benefícios do contato pele a pele entre mãe e bebê na primeira hora de vida, importantíssimo para o sucesso da amamentação.

A AAP aconselha evitar a exposição de bebês ao fumo, álcool e drogas ilícitas.