Festas infantis simples e sem eletrônicos recriam o clima das comemorações de antigamente

Por FABIANA FUTEMA
Festa de 5 anos do Kazuo teve mesa decorada com brinquedos do aniversariante (Arquivo Pessoal)
Festa de 5 anos do Kazuo teve mesa decorada com brinquedos do aniversariante (Arquivo Pessoal)

Criança não precisa de brinquedos barulhentos piscantes nem de DJ, som alto e luz negra para se divertir em uma festa de aniversário. Elas precisam de espaço para correr e brincar livremente, como acontecia nas festas que nossos pais organizavam antigamente.

Naquelas festas não havia barco viking, la bamba ou tombo legal para animar as crianças. Nem monitores para ficar de olho nos convidados mirins.

As famílias não serviam comidinha gourmet para os adultos nem faziam hora do piquenique para as crianças. Tampouco era necessário que uma equipe de animadores reforçasse com gritos a hora do parabéns, quase inibindo a cantoria espontânea dos convidados.

Bastava uma sala ou quintal para armar uma mesa com brigadeiros, bala de coco e petiscos simples, como batatinha no vinagrete. As crianças se divertiam brincando, correndo e pulando. Elas já são animadas, não precisam de animadores.

O problema é que a sala de casa ficou pequena com a construção de imóveis cada vez menores. O quintal deixou de existir e deu lugar para o salão de festa dos condomínios. Mas não é todo mundo que gosta de comemorar no salão do prédio _o local pode ser pequeno ou não contar com um espaço adequado para as crianças brincarem livremente.

Para pais que buscam lugares que recriam o clima das festas de antigamente, uma opção são os locais especializados em brincadeiras infantis. Esse é o caso da Casa do Brincar e Mamusca, localizados em Pinheiros (zona oeste de São Paulo), Casa Lila, na Aclimação (região central) e Brincando no Pé (Chácara Santo Antonio).

A Casa do Brincar, onde comemorei o aniversário do meu filho de 5 anos, possui um quintal com árvore, tanque de areia, parede de escalada e diversos brinquedos espalhados pelo chão, como casinha, mesinha, geladeira e fogão.

Como a ideia é recriar o clima das festas de antigamente, os pais e parentes podem se envolver mais com a produção. Pesa menos no bolso e dá mais satisfação. A primeira coisa é cuidar pessoalmente da decoração. Não é preciso contratar uma empresa para fazer a decoração da mesa do bolo. Uma dica é utilizar brinquedos que a criança já possui. Fica mais pessoal e dá mais significado à festa.

Pais pouco habilidosos, mas que desejam uma mesa sustentável e personalizada podem recorrer a empresas que vendem kits de decoração com essa proposta. A Festejo in Box monta caixas com itens feitos de cerâmica, madeira e tecido. O material pode ser usado depois na decoração da casa ou aproveitados nas festas dos anos seguintes.

Os pais também costumam se preocupar com o cardápio da festa. Hoje em dia, menos é mais. Descubra o que você mesmo sabe fazer e sirva aos convidados. Peça ajuda para avós, tios, primos e irmãos.

Pessoas sem parentes em casa ou sem tempo podem pesquisar serviços que fornecem apenas a alimentação da festa. O bom é que dá para pesquisar e pechinchar preço.  Se não conhece a empresa, marque antes uma degustação. Assim você evita surpresas desagradáveis.

Por fim, calcule a bebida de acordo com a quantidade de convidados. Os sites de festa recomendam 800ml de cerveja por pessoa e 600 ml de refrigerante. Como se trata de uma festa infantil, não sinta-se obrigado a servir  bebida alcoólica. Suco, refrigerante (?!) e água são suficientes.

LISTA DE CONVIDADOS

A montagem da lista de convidados é uma tarefa que costuma dar dor de cabeça aos pais. A vontade é convidar os amiguinhos da escola, os priminhos, os vizinhos, os parentes e os amigos dos pais. Mas como encaixar esse tanto de gente em um orçamento razoável e dentro dos espaços disponíveis para festa?

Soraya Ianella, da Festejo in Box, diz que as festas dos primeiros anos podem ser mais intimistas. “Quando a criança ainda é pequenina, a família e os amigos dos pais são os melhores convidados.”

Ela dá uma dica para ajudar a reduzir a lista de convidados. “Vale chamar as pessoas que efetivamente estiveram presentes naquele período. Aquele amigo do trabalho sem filhos ou a prima distante que nem conhece a criança podem ficar de fora da festa sem nenhum problema.”

Em tempos de crise financeira, muitos pais estão buscando opções mais econômicas de festa. Entre as soluções estão as festinhas em casa, com a família e os amiguinhos da escola.

“Vejo que muitos pais estão buscando mais significado e menos luxo. Normalmente, as comidinhas são feitas pelos próprios adultos. Uma tia faz um bolo, o avô assa o pãozinho, a prima enrola o brigadeiro. É uma delícia”, afirma ela.

Segundo ela, a maior novidade hoje “são as festinhas intimistas em ambientes diferentes e em espaços que traduzem a simplicidade das crianças”. “Costumo dizer que os adultos ostentam e se preocupam demais, mas a verdadeira comemoração é aquela que traduz a alegria das crianças.”

OUTROS LUGARES

Além de buffets, parques e casas de brincar, o pais encontram outras opções de lugares para realizar suas festas. O Parque da Mônica inaugurou no ano passado salões de festa para realizar aniversários.

A Fazendinha Estação Natureza, na zona sul de São Paulo, também conta com um local para comemorar aniversários. O legal é que os convidados podem brincar com os animais da fazenda.

Leia também:

Mães aderem à festa de aniversário compartilhada para poupar tempo e dinheiro

Meninas pedem festas de super-heróis, e mães debatem o empoderamento infantil

Com troca de serviços, mãe banca festa de aniversário da filha sem gastar nada

Dicas para fazer a decoração da mesa de aniversário do seu filho